fbpx

Ocupação na Câmara Municipal de Juazeiro do Norte (CE): povo marca sessão popular para discutir suas pautas

O descaso dos vereadores de Juazeiro do Norte (CE) com as demandas da população e a preocupação em votar projetos só em benefício próprio – como aumento dos próprios salários – levou estudantes, sindicalistas e movimentos populares a ocuparem a Câmara Municipal desde a última quinta-feira (27) e a marcarem uma sessão popular nesta terça-feira (1º) às 15h.

Valdir Medeiros, da direção nacional da Intersindical Central da Classe Trabalhadora, comemora a mobilização, nunca registrada antes na cidade. 

“Estamos fazendo história. Nesta terça-feira vamos ter a primeira sessão conduzida pelos trabalhadores. Nunca houve oportunidade para os movimentos populares se expressarem”, afirma.

Entre os temas que serão discutidos, defendidos pela Intersindical no Cariri, estão pautas locais e nacionais, como o fim da taxa de iluminação pública, o parque livre, a criação do Conselho Municipal de Transporte e a PEC 55 (antiga PEC 241) que congela os investimentos públicos por 20 anos e afeta a vida de todos os brasileiros.

“Agora o povo vai poder falar na casa do povo”, diz Valdir Medeiros. “A grande mídia está apoiando a mobilização por causa do aumento vergonhoso que os vereadores fizeram para eles mesmos, apesar dos inúmeros protestos”.

Prefeito de Juazeiro vai ganhar mais que o presidente da República

Em meia hora d dia 27 de outubro, a maioria dos vereadores aprovou o aumento de 20% dos próprios salários, que passaram de R$ 10 mil para R$ 12,6 mil. Ficou estabelecido o reajuste do salário do vice-prefeito, de R$ 14 mil para R$ 21 mil e 65% de aumento para o prefeito, que passa a receber R$ 33 mil, mais do que o presidente da República e o dobro do salário do próprio governador do estado.

Os movimentos sociais alegam que o Regimento Interno da Câmara Municipal de Juazeiro do Norte (CE) foi violado e avisam que vão pedir a anulação da sessão.

O Ministério Público de Juazeiro do Norte pretende entrar com ação na Justiça assim que os novos salários forem publicados no Diário Oficial do município. Segundo os promotores, a votação não poderia ter acontecido depois das eleições, já que os vereadores reeleitos estão beneficiando a eles mesmos com o aumento que passa a valer em janeiro.

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail
Tags

*

Top