Nota de solidariedade à Cuba frente às novas agressões dos EUA

Nota de solidariedade à Cuba frente às novas agressões dos EUA

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

A Intersindical Central da Classe Trabalhadora vem publicamente denunciar mais uma manobra suja do imperialismo estadunidense contra Cuba. Após as fracassadas e desastradas tentativas de desestabilização ocorridas no mês de julho deste ano, o governo de Washington aposta, mais uma vez, na convocação da chamada “Marcha Civil” contra a Revolução Cubana para o dia 15 de novembro. 

A convocação da “marcha” é diretamente coordenada por altos representantes do governo estadunidense e deixa claro quem está de fato interessado em provocar o caos social no país caribenho. 

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Como se já não bastasse o infame bloqueio econômico que impõe restrições à população cubana desde 1962, agora, em plena pandemia de COVID -19, outras 60 novas restrições foram criadas. Uma atitude que demonstra que o bloqueio é uma arma de guerra contra os cubanos e cubanas. 

Sendo cada vez mais claro que o bloqueio fracassou em seu objetivo contrarrevolucionário, os EUA intensificam as ações de guerra irregular e psicológica, utilizando-se de forte aparato midiático.  Tais ações, tem mais um capítulo no próximo dia 15 e visam projetar ao mundo a imagem de uma Cuba falida e instável, algo que realmente está muito longe da realidade do país. 

Mesmo sob forte ataque econômico, Cuba segue sendo uma nação estável institucionalmente e avançada socialmente. Os dados são incontestáveis, sendo o primeiro país a concluir a imunização completa da sua população contra a Covid, com vacinas produzidas nacionalmente.

O dia 15 de novembro é uma ação projetada com base no financiamento da agência federal estadunidense USAID que já transferiu mais de 6 milhões de dólares para uma 12 organizações anti cubanas com sedes na Flórida, Washington e Madrid. Tais revelações deixam claro que os acontecimentos programados para a próxima são um ato de ingerência estrangeira em solo cubano e devem ser entendidos e tratados como tais. 

A Intersindical Central da Classe Trabalhadora, entidade filiada à Federação Sindical Mundial, vem publicamente prestar solidariedade total ao povo e ao governo cubano. Não admitimos mais golpes contra a soberania dos povos latino-americanos.

Cuba não está só!

São Paulo, 13 de novembro de 2021

Ricardo Saraiva “Big” – Secretaria de Relações Internacionais
Edson Carneiro “Índio” – Secretário Geral
Intersindical Central da Classe Trabalhadora

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

PEC 32 e o Desmonte do Serviço Público
PEC 32 e o Desmonte do Serviço Público
Intersindical contra a PEC 32 em Brasília
Intersindical contra a PEC 32 em Brasília
2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários