fbpx

Nota de repúdio – A expulsão da diplomacia venezuelana é um crime contra a nossa constituição e nossa história

Diante dos últimos acontecimentos envolvendo o governo brasileiro e a diplomacia venezuelana, a Intersindical Central da Classe Trabalhadora vem a público repudiar a medida autoritária e inconstitucional do presidente Jair Bolsonaro que exigiu a retirada do corpo diplomático da República Bolivariana da Venezuela até o dia 02 de maio. 

A ação de Bolsonaro é uma afronta aos princípios do artigo 4º da Constituição Federal Brasileira, contraria a nossa tradição diplomática e os princípios que devem orientar a atuação do Itamaraty. De forma criminosa os princípios de integração da América Latina, autodeterminação dos povos, soberania nacional, cooperação entre os povos foram substituídos por pelas ideias irracionais e anticientíficas do astrólogo e ideólogo do governo, Olavo de Carvalho.

Essa medida é uma demonstração clara de subserviência do atual governo aos interesses dos Estados Unidos da América. Não temos histórico de guerras ou conflitos armados com o país vizinho e nossos interesses nacionais não estão sob nenhum tipo de ameaça do governo Venezuelano, portanto, o autoritarismo de Bolsonaro deixa evidente que o país se encontra de joelhos aos interesses imperialistas. 

Defendemos a imediata suspensão da retirada da diplomacia venezuelana. 

É dever de todas organizações democráticas repudiar a ação criminosa do governo Brasileiro e defender de forma contundente a soberania dos povos. A solução para a crise venezuelana será obra de seu próprio povo, não aceitamos nenhum tipo de intervenção. 

Em defesa da soberania nacional, FORA BOLSONARO!

Viva a Revolução Bolivariana!

São Paulo, 30 de abril de 2020
I
ntersindical Central da Classe Trabalhadora

[COVID-19] Eduardo Piñate, Ministro do Trabalho da Venezuela, direto de Caracas

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail

*

Top