Nota da Intersindical sobre os retrocessos trabalhistas apresentados por Temer

Nota da Intersindical sobre os retrocessos trabalhistas apresentados por Temer

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

O Governo golpista e ilegítimo de Michel Temer anunciou um Projeto de Lei a ser encaminhado para o Congresso Nacional com uma série de ataques aos direitos trabalhistas. Sob o argumento de “modernizar” a legislação e com as bênçãos de setores empresariais, como a FIESP, a medida propõe uma série de retrocessos nas garantias conquistadas historicamente pelos trabalhadores.

A prevalência do negociado sobre o legislado, permissão de jornadas de até 12 horas por dia, divisão do pagamento de férias em até três vezes, parcelamento dos pagamentos de lucros e resultados da empresa, disposição sobre a ultratividade da norma ou instrumento coletivo de trabalho da categoria, redução do horário de almoço para apenas meia hora, são algumas das medidas que pretendem levar o Brasil para os tempos da República Velha (1889-1930), ou seja, pretendem impor um século de retrocessos nos direitos da classe trabalhadora.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Enquanto isso, o Imposto sobre Grandes Fortunas (IGF), único imposto constitucional (art. 153) sem regulamentação seguirá letra morta; seguirão sem taxação os envios de lucro para o exterior; seguirá sem incidir IPVA sobre os jatinhos, helicópteros e iates, a exemplo daqueles de propriedade do Senhor Paulo Skaf, presidente da FIESP, um dos empolgados com as medidas de hoje; sem falar no perdão de dívidas relativas a impostos não pagos no passado, e vergonhosas isenções correntes.

A Guerra de Classes está declarada no Brasil, e Michel Temer se coloca como vassalo dos interesses imperialistas, do capital rentista e de todos os monopólios industriais e agroindustriais, e contra a classe trabalhadora e os pobres em geral. O governo Temer é a expressão atual da Casa Grande brasileira, cuja política, de tão retrógrada, vai superar os golpistas do passado (1964-1985) em termos de ataque aos direitos trabalhistas, às garantias sociais, ao patrimônio público e às riquezas estratégicas.

Os retrocessos nos direitos sociais já foram imensos neste ano de 2016 que finda, como foi o caso da aprovação do congelamento por vinte anos dos investimentos nos serviços essenciais (saúde, educação, assistência social); a renegociação da dívida dos estados conforme os interesses dos rentistas e em prejuízo dos serviços públicos; a edição da Medida Provisória que mutilou o ensino médio, etc. Além disso, já tramita na Câmara Federal a Proposta de Emenda Constitucional, PEC 287, que ataca os direitos previdenciários, e, se aprovada, jogará milhões de trabalhadores e trabalhadoras na miséria absoluta já nos próximos anos.

O ano de 2017 será possivelmente o ano mais intenso da história da luta de classes no Brasil, pois a classe trabalhadora vai lutar pelos seus direitos e pelas garantias sociais do conjunto do povo pobre. A Intersindical Central da Classe Trabalhadora se apoiará e participará de todas as lutas do povo trabalhador brasileiro, na resistência aos ataques vindos do governo golpista, mas também na ofensiva contra o governo golpista, este ou outro que pretendam instituir à revelia da soberania popular.

A classe trabalhadora já começou a perceber o caráter do governo instalado. A agressividade da PEC da previdência e do desmonte dos direitos trabalhistas, produzirá muitas mobilizações populares, que serão ampliadas na medida em que se consiga levar aos setores mais pauperizados da classe trabalhadora o real conteúdo destas políticas. A greve geral segue sendo uma necessidade, e será uma possibilidade se as centrais sindicais agirem honesta e francamente na construção de uma agenda unitária. Unindo todas as lutas na mesma direção e com a mesma intensidade, podemos derrotar o governo golpista e sua política de regressão social, já em 2017.

Abaixo aos retrocessos trabalhistas!
Não à Reforma da Previdência!
Fora Temer e todos os golpistas! 
Para reorganizar a soberania popular que o povo decida. 

INTERSINDICAL CENTRAL DA CLASSE TRABALHADORA

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Manifestação contra a #PEC32
Manifestação contra a #PEC32
#7SForaBolsonaro
#7SForaBolsonaro
Raul Campos, trabalhador da #PROGUARU, no 7S Fora Bolsonaro!
Raul Campos, trabalhador da #PROGUARU, no 7S Fora Bolsonaro!
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários