Nervos de aço e controle territorial

Nervos de aço e controle territorial

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Os jogos de guerra dos EUA contra o sistema econômico venezuelano visam limitar as ações do governo revolucionário e distrair a precária crise de saúde interna, em meio à pandemia. Para isso, implementa operações militares no Caribe, cujo objetivo estratégico é orientar para o aprofundamento da guerra multimodal, com forte ênfase em operações psicológicas, guerra elétrica, econômica, financeira, com ênfase em várias gamas de artilharia de notícias falsas, conspirações internas em questões econômicas com fatores apátridas, destinados a produzir ações de confronto social aberto, que geram revoltas sociais, de acordo com os cálculos dos EUA e de seus aliados internos.

O sistema econômico com contratos de quarentena, situação que se aproveita de fatores apátridas para gerar distorções no sistema monetário com aumentos do dólar paralelo, o que força o fortalecimento do controle territorial, com ações prudentes e inteligentes de coesão orgânica, visando superar obstáculos como conseqüência do aprofundamento das contradições da nação império.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Estamos em uma situação de alto nível de agressão que visa gerar conflitos. Por isso, as ações do governo desde a instância presidencial, em relação à alimentação com os CLAPs, a compra do programa em sua casa, o controle territorial da pandemia, devem ser reforçadas com a incorporação de ações territoriais complementares dos governos.

A República Bolivariana da Venezuela é o epicentro de um confronto global, sobre o qual as diferentes forças geopolíticas da força internacional direita e se revoltam, tentando obter uma vitória a qualquer risco motivada pelo que representa no cenário mundial em termos de recursos econômico.

O desespero da direita internacional liderada pelos Estados Unidos os leva, pela primeira vez, a oferecer 15 milhões de dólares a quem aprisionar o presidente Nicolas Maduro e outros líderes da Revolução Bolivariana, uma semana depois propõe um plano de transição, com um conselho de Estado sem a incorporação do autoproclamado e a exclusão de nosso presidente constitucional Nicolás Maduro. Esse cenário de guerra visa desviar a atenção para a crise de saúde interna, com o maior número de mortes hoje, o que a torna uma verdadeira crise humanitária nos EUA e não na Venezuela.

 O controle territorial de cada localidade em sinergia e articulação em redes de defesa abrangentes da nação coloca o conflito com o império dos EUA nas estratégias dos códigos de guerra, em um jogo de xadrez em que garante vitória, resistência, paciência, inteligência , nervos de aço e controle territorial.

Raúl Meléndez
14/04/2020

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários