fbpx

Não vamos deixar que Temer ponha suas garras sujas nos direitos dos trabalhadores, afirma Intersindical em lançamento do Fórum

Saiba mais:
→ Aposentadoria Fica, Temer Sai! Paramos 8/3 pela vida das mulheres!
 Chamado à mobilização para 15 de março
→ Baixe o Jornal da Reforma da Previdência
→ Baixe as apresentações do seminário Reforma da Previdência do DIEESE
→ Vídeo (2 min.): Desmascarando a Farsa do Rombo da Previdência
Notícias e informações sobre a Reforma da Previdência (PEC 287)


A Intersindical esteve presente, junto a outras entidades, no lançamento do Fórum Interinstitucional em Defesa do Direito do Trabalho e da Previdência Social, que aconteceu nesta manhã na Câmara dos Deputados.

Aconteceu nesta manhã, no Congresso Nacional, o lançamento do Fórum Interinstitucional em Defesa do Direito do Trabalho e da Previdência Social, que reuniu dezenas de entidades sindicais e do direito do trabalho, além de cerca de 50 parlamentares contrários ao desmonte da Previdência Social e dos direitos trabalhistas.

Representando a Intersindical – Central da Classe Trabalhadora, uma das entidades que fizeram parte da comissão organizadora do evento, Edson Carneiro Índio, Secretário Geral da Central, deixou claro que “as mulheres e homens, não vão deixar que esse golpista (Michel Temer) ponha suas garras sujas nos direitos dos trabalhadores”.

Índio afirmou que a intenção é dialogar com todo mundo e os parlamentares que votarem a favor do desmonte nunca mais vão ter o voto do povo trabalhador.

Segundo ele, o golpista Temer está entregando aquilo que prometeu para quem financiou o golpe: “para beneficiar um punhado de milionários, eles estão dispostos a colocar milhões e milhões de trabalhadores na barbárie, na miséria e na fome sem nenhuma proteção social”.

Datas importantes previstas para manifestações também foram lembradas por ele, como o 8 de março, em que as mulheres de todo o país, junto com os homens, vão às ruas para dizer “aposentadoria fica e o Temer sai”.

Outra data que está sendo construída é o dia 15 de março, em que haverá greve geral da educação, do serviço público e paralisações de inúmeras categorias. “Nós vamos chacoalhar esse país de norte a sul e vamos derrotar esse desmonte que o golpismo quer impor sobre o nosso povo”, disse ele.

Para Índio não há como melhorar esse desmonte, nem remendar a PEC 287 e, muito menos, haverá qualquer tipo de negociação. “E aqueles que diminuir o tamanho da faca que vai matar nosso povo e os nossos diretos também sofrerá a irá e a organização do povo. Não se negocia o desmonte”, afirmou.

Ele esclareceu que a Intersindical e as centrais sindicais, a Frente Povo Sem Medo e a Frente Brasil Popular vão mobilizar o Brasil para derrotar o desmonte dos direitos sociais e trabalhistas. “Não passará! E a classe trabalhadora vai mostrar o caminho para botar para fora o golpismo, restabelecer a democracia e manter os nossos direitos”.

Além das centrais sindicais, estavam presentes entidades como a Anamatra (Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho), ANPT (Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho), Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho, ALAL (Associação Latino Americana dos Advogados Laboralistas), Fórum Nacional em Defesa dos Trabalhadores Ameaçados pela Terceirização.

Presidente da Câmara é a favor do desmonte

Nesta terça-feira (21) as centrais sindicais já haviam feito uma reunião com o Presidente da Câmara, o Deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), para reivindicar mais tempo para o debate da Reforma da Previdência.

Na ocasião, Maia disse que iria conversar com o relator do projeto, Arthur Oliveira (PPS-BA), mas que, em sua opinião, o financiamento da Previdência poderia ser de forma a beneficiar o sistema financeiro. Segundo ele, a proposta que está em tramitação ainda não é desejada por eles, que, no caso, seria um projeto de capitalização total – objetivo principal dos banqueiros.

Maia afirmou, também, que a base do governo irá colocar em tramitação, não apenas as Reformas da Previdência e a Trabalhista, que já estão com as comissões em funcionamento, como irá colocar em votação o Projeto de Lei (PL) 4302, que permite a terceirização geral e irrestrita neste próximo período.

Fonte: INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Inscreva-se em nosso canal no YouTube
Fotos: Cleia Viana (Câmara dos Deputados) e Alexandre Caso (Intersindical)

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail

*

Top