fbpx

MTST monta acampamento de resistência contra a retirada de direitos em frente ao escritório da Presidência da República, em SP, e exige Fora Temer!

Saiba mais:
→ Baixe o Jornal da Reforma da Previdência
→ Baixe as apresentações do seminário Reforma da Previdência do DIEESE
→ Vídeo (2 min.): Desmascarando a Farsa do Rombo da Previdência


Desde a noite da última quarta-feira (15), na Avenida Paulista, cerca de 400 pessoas, a maioria integrante do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), estão acampadas em frente ao escritório da Presidência da República, protestando contra os retrocessos sociais deste governo golpista.

Guilherme Boulos, Coordenador Nacional do MTST, explica que a iniciativa não se restringe apenas à luta pela moradia, abrange a luta de todos, como o desmonte da Previdência e a liquidação dos direitos trabalhistas, as privatizações do patrimônio público e da riqueza nacional… Tudo isso exige de nós uma atitude mais firme, mais contundente”, defende ele.

“O MTST luta por moradia, esse direito fundamental. O governo Temer suspendeu todas as contratações na faixa do Minha Casa Minha Vida que atende ao povo mais pobre. Mas não é só a luta por moradia, é um acampamento de resistência, na luta pelos nossos direitos, contra os retrocessos sociais e pelo Fora Temer. 

Aqueles que puderem vir para cá serão muito bem vindos, os que puderem contribuir com alimentos e colchões também. Temos risco forte de sofrer repressão, peço que divulguem muito! A divulgação, a presença e a solidariedade de todos é  fundamental. Vem pra resistência!”, conclamou Boulos.

Os manifestantes fazem rodízio em frente do escritório da Presidência e não tem data para sair. No local, estão ocorrendo  debates, músicas e atos contra o governo.

Ato

Na quarta-feira, parte dos manifestantes saiu do Largo da Batata e percorreu a Avenida Rebouças. A outra parte saiu da Praça da República e percorreu a Rua da Consolação. Os dois grupos se encontraram depois na Avenida Paulista, onde montaram o acampamento. Cerca de 30 mil pessoas participaram das passeatas, mas a Polícia Militar preferiu não dar estimativa de manifestantes.

Procurada por diversos meios de comunicação, a Presidência da República informou que não vai se pronunciar sobre o acampamento e disse que não há, em curso, qualquer tipo de negociação com os líderes do movimento.

Fonte: INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Inscreva-se em nosso canal no YouTube

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail

*

Top