fbpx

Movimento indígena pretende lançar plataforma de candidaturas para as eleições

Movimento indígena pretende lançar plataforma de candidaturas para as eleições

Estimativa preliminar da Apib aponta pelo menos 36 candidatos para assembleias estaduais e Congresso Nacional

Uma plataforma que pretende dar visibilidade às pré-candidaturas indígenas deve ser lançada, em maio, pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), segundo sua coordenação. O site vem sendo construído colaborativamente, desde o final de 2017, visa apoiar os indígenas que se candidatem em todo o país. A Apib fez uma estimativa preliminar de 36 candidaturas a deputado estadual e federal e senador.

Serão divulgadas e apoiadas candidaturas comprometidas com o movimento indígena e capazes de viabilizam políticas que assegurem os bandeiras prioritárias da articulação. “Tem partido que não permite colocar nossos direitos nessa conjuntura. São inimigos nossos. Nunca estiveram e não vão estar do nosso lado”, diz Valéria Paye, da coordenação da Apib.

Num contexto em que seus direitos constitucionais são ameaçados pelos três poderes, os indígenas pretendem assumir o protagonismo político e lutar para incluir nos espaços de decisão pautas de seu interesse. A defesa do direito à diferença, à terra, ao “bem viver” e à gestão sustentável de seus territórios são os principais temas que estarão na plataforma.

Ontem (26), a ideia foi apresentada num plenária do Acampamento Terra Livre 2018, quando 21 pré-candidatos indígenas às eleições apresentaram-se e falaram de suas propostas. A mobilização começou na segunda e terminou hoje (27/4), no Memorial dos Povos Indígenas, em Brasília.

“As candidaturas não são pela busca do prestígio, e sim para conseguir igualdade de oportunidades para decidir sobre as vidas indígenas, para discutir e decidir o que é melhor para o povo”, diz Sônia Bone Guajajara, pré-candidata à Vice-Presidência pelo PSOL.

Dinamam Tuxá, da coordenação da Apib, vê a representatividade na política como um dos pilares para inverter a lógica de opressão contra os povos indígenas no Brasil: “Chegaram com truculência, violência e extermínio. Agora cabe a nós, nesse momento, descolonizar. E, para descolonizar, precisamos eleger os nosso deputados, porque a colonização é orquestrada e comandada pelo Congresso Nacional, pela Presidência da República, que está assumindo o papel fundamental de condução do extermínio de povos indígenas no Brasil.”

Fonte: CIMI


CLIQUE E ACOMPANHE A INTERSINDICAL NAS REDES

Facebook Intersindical

Instagram Intersindical

YouTube Intersindical

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail

*

Top