Moradores de ocupações de BH fazem manifestação contra quebra de acordo por parte do Governo Zema

Moradores de ocupações de BH fazem manifestação contra quebra de acordo por parte do Governo Zema

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

DIA DE LUTA EM BELO HORIZONTE: Diante da ameaça da ruptura de acordo do Governo Zema moradores das Ocupações Vicentão, Willian Rosa e Marião são obrigados a irem às ruas nesta quarta (08)

Está acontecendo em Belo Horizonte, neste momento, uma manifestação das famílias das ocupações Vicentão, Marião e Willian Rosa, em reivindicação pelo cumprimento do acordo firmado por parte do Governo de Minas Gerais com as famílias, e o pagamento do bolsa aluguel que lhes é de direito. Não vamos deixar o governador, através da COHAB-MG, dar o calote nessas famílias e efetivar seu projeto de morte em meio à maior pandemia do século.

Há mais de dois anos, foi firmado um acordo por parte do governo do Estado de Minas Gerais com moradores das ocupações Vicentão, Marião e Willian Rosa, e esse acordo consistia no pagamento de um subsídio temporário para pagamento de aluguel até que uma solução definitiva fosse construída com o reassentamento permanente dessas famílias.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Infelizmente o Estado, por via da COHAB-MG, não está cumprindo sua parte do acordo. As famílias das Ocupações de Belo Horizonte não recebem o subsídio há 7 meses. No caso de Contagem, trata-se de uma responsabilidade compartilhada com a Prefeitura, sendo que há três meses o Estado não faz o repasse de sua parte (Abril e Maio a Prefeitura garantiu o pagamento, mas a parcela de junho não veio). Tratam-se de 432 famílias de Contagem, das Ocupações William Rosa e Marião, e em BH, 100 famílias da Ocupação Vicentão, que no meio da maior crise de saúde pública dos últimos cem anos, não recebem o benefício que é fundamental para a sobrevivência há 07 meses!

Vale lembrar que foi aprovado na lei de diretrizes orçamentária do Estado de Minas Gerais recursos destinados ao pagamento de subsídio aluguel para os 4 anos subsequentes. Portanto a ação do governo não se justifica.

No início de Junho a COHAB-MG apresentou um terreno em Santa Luzia, dizendo que era o que o Estado teria a oferecer, e que portanto não faria o pagamento do subsídio. O terreno ofertado estava à venda, transformando-se a COHAB-MG em empresa de especulação imobiliária, mas não foi arrematado. A questão é que a oferta do terreno a seco não garante às famílias nenhuma condição de se estabelecerem do dia para a noite com moradia segura, mesmo porque o Prefeito de Santa Luzia colocou dificuldades para a empreitada.

As famílias querem uma saída definitiva, mas não podem ser responsabilizadas por ela. Cabe ao Estado a tarefa de cumprir o seu compromisso e construir uma alternativa viável. Todas as famílias são de baixa renda e é tarefa da União, Estados e Municípios a realização de políticas públicas de moradia digna.

Leia a nota na íntegra em nosso site: bhttps://brigadaspopulares.org.br/mg-dia-de-luta-em-belo-horizonte-diante-da-ameaca-da-ruptura-de-acordo-do-governo-zema-moradores-de-ocupacoes-willian-rosa-mariao-e-vicentao-sao-obrigados-a-irem-as-ruas/

*Para cumprir a principal medida de combate a pandemia, ficar em casa, é preciso ter casa!
Com luta, com garra, a casa sai na marra!*

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários