Lei quer restringir representatividade dos trabalhadores nos fundos de pensão

Lei quer restringir representatividade dos trabalhadores nos fundos de pensão

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

O projeto altera lei complementar por meio da eliminação da eleição de diretores das entidades patrocinadas por empresas e órgãos públicos e reduz a representação dos participantes nos conselhos.

Está em tramitação na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei Complementar (PLP) 268/2016. Seu objetivo é restringir a representação dos trabalhadores e trabalhadoras nos fundos de pensão. Para isso, altera a Lei Complementar nº 108 por meio da eliminação da eleição de diretores das entidades que são patrocinadas por empresas e órgãos públicos, além de reduzir a um terço a representação dos participantes nos Conselhos Deliberativo e Fiscal.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Segundo o texto, as vagas dos representantes dos trabalhadores e trabalhadoras serão entregues a conselheiros “independentes”, ou seja, contratados no mercado. “Essas mudanças reduzem o poder dos participantes do fundo de pensão de interferir na gestão, por exemplo, na mudança estatutária e nos planos de benefícios”, afirma a diretora do Sindicato dos Bancários/ES, Goretti Barone.

Para a também diretora do Sindibancários, Lizandre Borges, a alteração da Lei Complementar é um retrocesso. “Trata-se de mais um ataque aos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras. A representação dos trabalhadores nos fundos de pensão foi uma conquista muito importante que alcançamos na década de 80 e não pode ser retirada dessa forma”, diz Lizandre.

O Projeto de Lei Complementar (PLP) 268/2016 é fruto dos Projetos de Lei do Senado (PLS) 388 e 78, de autoria de Paulo Bauer (PSDB-SC) e Valdir Raupp (PMDB-RO), já aprovados na Câmara dos Deputados.

Eleições da Previ e da Funcef

Trabalhadores e trabalhadoras da Caixa e do Banco do Brasil estão prestes a escolher seus representantes no fundo de pensão. Nesta sexta-feira, 13, tem início as eleições para os cargos de Administração (Diretoria de Seguridade e Conselho Deliberativo), Fiscalização e para os Conselhos Consultivos dos Planos 1 e Previ Futuro nas eleições da Previ.  Na próxima segunda, 16, começam as eleições para os novos representantes do Conselho Deliberativo e do Conselho Fiscal da Funcef. O processo eleitoral vai até a quarta-feira, 18. O Sindibancários apoia a Chapa 04, “independência e Luta”.

“É importante que os trabalhadores e trabalhadoras participem ativamente de ambas as eleições não somente para exercer o seu direito de escolha, mas como forma de mostrar o quanto é importante para nós, bancários e bancárias, garantir a nossa representatividade nos fundos de pensão”, diz Lizandre.

Fonte: Sindicato dos Bancários do Espírito Santo

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários