Lançamento da Frente Nacional contra o Projeto Escola sem Partido é nesta quarta (13) no Rio

Lançamento da Frente Nacional contra o Projeto Escola sem Partido é nesta quarta (13) no Rio

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Com o apoio da Confetam, Frente lutará para impedir a aprovação do PL 867/15, que cerceia a liberdade de expressão dos professores no exercício profissional e institui a censura em sala de aula

A secretária-geral da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT), Jucélia Vargas, participou, na última quinta-feira (07/07), da reunião preparatória ao lançamento da Frente Nacional contra o Projeto Escola sem Partido, realizada no município do Rio. Agendado para esta quarta-feira (13/07), às 9h30, no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ, o lançamento da Frente marcará o início de uma luta nacional organizada por entidades e movimentos contrários ao Projeto de Lei (PL) nº 867 de 2015. 

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Denominado de Lei da Mordaça, o PL 867/15 vem sendo repudiado por educadores de todo o Brasil, que apontam a iniciativa parlamentar como uma tentativa de calar a voz e o pensamento crítico dos professores em sala de aula, instituindo a censura, o patrulhamento ideológico, o cerceamento à liberdade de expresão e ao livre exercício profissional dos trabalhadores do magistério dentro das escolas brasileiras.

Confetam na mesa de lançamento

A Confetam representará os servidores municipais da Educação na mesa do lançamento. “Estaremos na mesa como representantes dos servidores municipais da Educação de todo o país, daí a importância da participação dos dirigentes das Federações, Sindicatos e trabalhadores da base para fortalecer a luta nacional contra o projeto Escola sem Partido”, conclama a secretária-geral da entidade.  

De acordo com Jucélia Vargas, a orientação da Confetam é que os municipais que forem à Brasília participar da audiência dos servidores públicos na Comissão de Direitos Humanos do Senado, no dia 12 de julho, ao final da agenda dirijam-se ao município do Rio de Janeiro para reforçar, no dia seguinte, o apoio da categoria ao lançamento da Frente contra o Escola Sem Partido.

“Esta frente terá muitas tarefas e desdobramentos. Por isso precisaremos de todo a mobilização e apoio dos municipais para conseguirmos barrar esse projeto, que significa um retrocesso para os educadores, os alunos e a Educação no país”, afirmou Jucélia. 

Confira abaixo a íntegra do manifesto aprovado na reunião da última quinta-feira (07/07) e subscrito por mais de 200 entidades. 

Manifesto à convocação da Frente contra o PL “Escola Sem Partido”

Nós, membros atuantes da sociedade civil, por meio de nossas entidades representativas, educadorxs, estudantxs, trabalhadorxs e cidadãxs dos mais variados setores, repudiamos com veemência a ofensiva do atraso e do fascismo expresso no famigerado Projeto de Lei 867/2015, denominado “Escola Sem Partido”.

Defender a escola sem partido é defender a escola com apenas um partido. Partido daqueles que são contra uma educação laica e contra o debate sobre gênero, fortalecendo assim a cultura do estupro e a LGBTfobia presente em nosso país. Defendemos a escola crítica sim, a educação libertadora, a pluralidade de ideias e a liberdade de expressão e pensamento.

Historicamente, as classes dominantes do Brasil em seus sucessivos governos e em todas as esferas têm sucateado e precarizado a educação. Sequer a escola pública de qualidade em suas acepções fundamentalmente liberais é garantida à população, principalmente aos seus segmentos mais pobres e carentes.

Não bastassem as condições degradantes às quais são expostos estudantes e profissionais da educação, não bastasse o salário de fome a que são submetidos professorxs e demais profissionais da área da educação, acenam agora com a censura, o patrulhamento ideológico, com a morte da esperança de transformação social em suas exposições mais primárias.

Diante da ofensiva do capital, da ameaça de aprovação deste PL pelo Congresso mais reacionário das últimas décadas e do seu sancionamento por um governo ilegítimo, urge a reação. Não são mais suficientes as iniciativas isoladas, não basta mais levantar a voz no espaço de nossas casas ou mesmo em nossas salas de aula.

É hora de reunir todas as entidades, sindicatos, associações, partidos, organizações da sociedade civil, parlamentares, etc., ombro a ombro, contra esse insulto à democracia e aos anos de chumbo.

Por tudo isso, conclamamos a todos que entendem a necessidade da mobilização democrática, que se somem a nós no lançamento da Frente Nacional Contra o PL 867/2015 “Escola Sem Partido”.

Folder

Fonte: Confetam / CUT

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários