Kaingang protestam em Brasília contra assédios e má gestão na saúde indígena

Kaingang protestam em Brasília contra assédios e má gestão na saúde indígena

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Leiam também:
→ “Agora todo fazendeiro tem o CAR”, diz indígena ameaçado em Boca do Acre


Indígenas Kaingang de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul protestaram na tarde de segunda (3) em frente à sede da Secretaria Especial da Saúde Indígena (Sesai), em Brasília. As lideranças reivindicam que o governo federal investigue as denúncias de assédio moral e sexual e má gestão de recursos do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) da Região Sul, que atende os estados do RS e SC.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

As denúncias foram entregues em documentos ao secretário responsável pela Sesai, Marco Antônio Toccolini. “Como mulheres indígenas, temos sofridos assédios moral e sexual. Profissionais indígenas e não indígenas vêm sofrendo essas violações e denunciamos há um mês e nada foi feito”, comenta Fernanda Kaingáng.

As lideranças vêm a Brasília uma semana depois de ocuparem as sedes do DSEI e da Sesai, em Santa Catarina e Rio Grande do Sul como pedindo de afastamento de servidores acusados de assédio moral e sexual. Na reunião, Marco Antônio Toccolini se comprometeu em enviar uma equipe para auditoria nas contas do DSEI Sul e para ouvir as mulheres que sofreram violações. “A denúncia foi protocolada. Mandarei uma equipe para averiguar a situação ainda essa semana. Para realizar o afastamento dos servidores preciso encontrar indícios de irregularidades que sejam postas como provas”, defendeu o secretário.

Diante a posição oficial de Marco Antônio, os caciques afirmaram que continuarão ocupando os escritórios responsáveis pela gestão da saúde indígena, ligados ao Ministério da Saúde, como forma de pressionar por investigações e respostas da União.

Fonte: CIMI / Por Guilherme Cavalli, da Assessoria de Comunicação / Foto: Fernanda Kaingang


INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Inscreva-se aqui em nosso canal no YouTube

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários