fbpx

Itaú é condenado a pagar 7ª e 8ª horas e PLR proporcional

Itaú é condenado a pagar 7ª e 8ª horas e PLR proporcional

Uma bancária de Jundiaí ganhou um processo referente a 7ª e 8ª horas e PLR proporcional. A sentença, proferida no dia 25 de agosto pela juíza Cristiane Helena Pontes, condena o Itaú a pagar R$ 80 mil para a funcionária, que de 2011 a 2015 atuou com a função de assessora operacional de empresas.

Após ser demitida, a bancária procurou o Sindicato dos Bancários, que entrou com ação. A bancária não tinha um cargo de confiança e, portanto, tem direito a receber as horas extras.

A PLR proporcional está prevista em orientação jurisprudencial do TST, que determina o pagamento da participação nos lucros equivalente aos meses trabalhados.

O Itaú tem a prática de oferecer cargos de assessoria ou gestão, quando na verdade a função que a pessoa desempenha é a de um funcionário de seis horas.

Ainda cabe recurso para ambas as partes.

Fonte: Sindicato dos Bancários de Santos e região


INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Inscreva-se aqui em nosso canal no YouTube

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail

*

Top