Integralista parte para agressão física em votação de projeto medieval na Câmara de Campinas

Integralista parte para agressão física em votação de projeto medieval na Câmara de Campinas

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Numa sessão tensa, marcada por conflitos e agressões, a Câmara Municipal de Campinas/SP aprovou na noite de segunda-feira, 29, em primeira votação, o projeto de emenda à Lei Orgânica que veta a inclusão de gênero no Plano Municipal de Educação. O público presente era formado por grupos contra e a favor da emenda.

Na medida em que a votação se aproximava, o representante do Movimento Integralista Linear Brasileiro, Cássio Guilherme (fotos abaixo), agrediu covardemente a professora Carolina Figueiredo, militante do PSOL e do Coletivo Rosa Lilás, que fez boletim policial de ocorrências. A agressão foi na frente da Guarda Municipal de Campinas, que se omitiu.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

005_01p

005_03p

005_05p

Medieval – Vereadores querem a volta da “Idade das Trevas”

Na semana em que se comemora o Dia Internacional do Orgulho Gay (28 de junho) e com o mundo festejando a aprovação do casamento gay nos Estados Unidos (no Brasil está aprovado desde 2013), a maioria dos vereadores da Câmara Municipal de Campinas portam-se como se estivessem vivendo ainda na Idade Média (Datada entre os anos de 476 e 1453, o período ficou conhecido como os “Anos Escuros” ou “A Idade das Trevas”).

Por vinte e cinco votos contra cinco, eles aprovaram uma emenda radical à Lei Orgânica do Município que veta a inclusão da chamada “ideologia de gênero” no Plano Municipal de Educação. Votaram contra os vereadores do PSOL, PCdoB e PT.

O projeto é considerado inconstitucional e haverá recurso jurídico para impedir que venha a ser debatido em segunda votação, prevista para ocorrer em agosto devido ao recesso (férias) dos vereadores em julho.

Ignorância radical

Ela proíbe que o prefeito inclua o tema – direta ou indiretamente – no currículo escolar e impede que a própria Câmara venha a fazer proposições a respeito. No seu único parágrafo, a emenda diz que “não será objeto de deliberação, qualquer proposição legislativa que tenha por objeto a regulamentação de políticas de ensino, currículo escolar, disciplinas obrigatórias – ou mesmo de forma complementar ou facultativa – que tendam a aplicar a ideologia de gênero, o termo “gênero” ou “orientação sexual”.

Resumidamente, a ignorância radical e assumida. Uma enorme ignorância e mediocridade pessoal e intransferível que os vereadores que votam a favor do projeto querem submeter toda a população de Campinas.

O integralismo

Os grupos integralistas são praticantes de valores de intolerância (inclusive com agressões físicas – os chamados “carecas” caminham junto a eles em pensamento), marcados pelo chauvinismo (patriotismo fanático e agressivo), racismo e pelo discurso contra os imigrantes. Resumidamente, a insanidade do neofascismo e neonazismo que todos conhecem os resultados pela 2ª Guerra Mundial.

Para facilitar a compreensão em termos atuais, os integralistas compõem a chamada “extrema-direita”.

Os integralistas apoiaram a ditadura militar desde seu início, participando com estrutura física, falsidade ideológica na propagação de mentiras e com dedoduragem para a prisão (com consequente tortura e morte) dos que combatiam os chamados “anos de chumbo” no Brasil (1964 a 1985).

Assista ao vídeo produzido pela TV Movimento:

Fonte: Sindicato dos Químicos Unificados de Campinas, Osasco, Vinhedo e região

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários