Indústrias querem revogar norma de segurança que protege os trabalhadores de acidentes com máquinas e equipamentos

Indústrias querem revogar norma de segurança que protege os trabalhadores de acidentes com máquinas e equipamentos

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora

Projeto que susta a NR 12 está para ser votado em regime de urgência no Senado

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

A norma de segurança 12 (NR 12) estabelece as medidas de prevenção, segurança e higiene do trabalho a serem adotadas na instalação, operação e manutenção de máquinas e equipamentos para prevenir acidentes.  E pode vir a ser derrubada no Projeto de Decreto Legislativo 43/2015, de autoria do senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), que tramita em regime de urgência no Senado.

Representantes do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinaet) foram recebidos ontem (1º) pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para expor os argumentos contra a revogação da NR 12. A matéria estava na pauta de ontem para ser votada, mas Renan disse que aguardaria mais alguns dias para conversar com os líderes.

“Os trabalhadores ficarão expostos a riscos cada vez maiores, as despesas da Previdência Social serão acrescidas ainda mais”, alerta Rosa Maria Campos Jorge, presidente do Sinaet.

Acidentes: 12 amputados por dia.

Entre 2011 e 2013 ocorreram 221.843 acidentes de trabalhadores com máquinas (o que representa 17% dos acidentes de trabalho típicos ocorridos no período), segundo o Sinaet. Desde montante, 13.724 foram amputações (mais de 12 trabalhadores amputados por dia) e centenas de acidentes resultaram em óbitos.

“Os acidentes com máquinas são responsáveis por aproximadamente  30% das mortes decorrentes de acidentes de trabalho analisados pela fiscalização do trabalho”, alerta Rosa.

Lobby

O descaso com a vida do trabalhador faz parte de um lobby da indústria, que alega ter um alto custo com os cumprimentos das regras.

 “Sem a existência destas regras os operadores jurídicos – em especial os Auditores Fiscais do Trabalho, Procuradores do Ministério Público do Trabalho e Juízes do Trabalho – deixarão de ter limites nas suas exigências, prevalecendo suas opiniões pessoais ao invés de disposições pré-existentes e de conhecimento público”, justifica a presidente do Sinait.

A Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra) também já se manifestou contra a revogação da NR 12.

A NR12 apenas clarifica o que é preconizado pelo artigo nº 184 da CLT que determina que as máquinas devem ter proteção e dispositivos adequados para prevenção de acidentes do trabalho. A NR 12 estabelece, por exemplo, a fixação de protetores, dispositivos de segurança para prensas, cortadores, amoladores, cilindros de massa, motosserra e também que os manuais e avisos das máquinas estejam em português, entre outros pontos.

Leia também: Rui Muniz | Saúde do trabalhador: CNI pressiona para esvaziar NR12

Crédito da foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

PEC 32 da REFORMA ADMINISTRATIVA é adiada, vitória dos trabalhadores
PEC 32 da REFORMA ADMINISTRATIVA é adiada, vitória dos trabalhadores
PEC 32 e o Desmonte do Serviço Público
PEC 32 e o Desmonte do Serviço Público
Intersindical contra a PEC 32 em Brasília
Intersindical contra a PEC 32 em Brasília
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários