Hospital Tereza Ramos, em Santa Catarina, tem Mamografias e Raio-X suspensos por falta de manutenção

Hospital Tereza Ramos, em Santa Catarina, tem Mamografias e Raio-X suspensos por falta de manutenção

Hospital Tereza Ramos, em Santa Catarina, tem Mamografias e Raio-X suspensos por falta de manutenção

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

O digitalizador de imagens do Hospital Tereza Ramos está quebrado desde o dia 26 de outubro, impedindo a realização de novas mamografias e exames de raio-X. Cerca de 150 atendimentos diários não estão sendo feitos por conta do problema técnico.

Esta já é a terceira vez que o equipamento para de funcionar e a assistência técnica terceirizada se nega a prestar novos serviços, alegando que o último conserto ainda não foi pago.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

O aparelho está em uso desde 2011 e nunca teve uma manutenção preventiva – procedimento padrão em equipamentos de alto custo. No mesmo setor do HTR, outros três equipamentos estão parados por algum problema técnico, são eles: equipamento de raio-X, mamografia e ressonância magnética. “Só o tomógrafo está funcionando, mas também está sem manutenção, então, corre o risco de parar a qualquer momento”, afirma Plínio Assis Garcia Júnior, servidor do HTR e diretor do SindSaúde/SC.

Segundo a direção do Hospital, faltam repasses da Secretaria Estadual de Saúde para pagar a manutenção dos aparelhos. Os próprios servidores da unidade chegaram a realizar orçamentos e descobriram que o conserto custaria cerca de 5 mil reais. Por conta do problema técnico, o mutirão de mamografias, realizado durante o Outubro Rosa – mês de prevenção ao câncer de mama – foi suspenso.

“Nós estamos filtrando os exames que chegam e fazendo somente aqueles de extrema urgência. Nesses casos, fazemos as placas aqui e revelar o exame em outro hospital. Por causa dessa triagem, muitos usuários tem ficado sem exames”, garante o diretor do sindicato.

O diretor do SindSaúde/SC junto a outros servidores da unidade protocolou uma moção na Câmara Municipal de Lages, pedindo apoio dos vereadores. Também entrou em contato com a Comissão de Saúde da Alesc, denunciando o fato.

“É evidente que essa se trata de mais uma situação em que o Estado precariza o que é público para depois privatizar. Enquanto de um lado da rua, o HTR que hoje é100% público sofre com o sucateamento, do outro, a nova obra de ampliação do Hospital segue normalmente. Como o governo pretende ampliar o Tereza Ramos se não garante a manutenção da estrutura atual?”, afirma a diretora do sindicato Ivanise Balbinot.

Fonte: Sindsaúde-SC


INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Siga-nos no INSTAGRAM
Inscreva-se aqui em nosso canal no YouTube

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários