Hoje: audiência pública sobre a privatização da Celg precisa deixar negociação às claras

Hoje: audiência pública sobre a privatização da Celg precisa deixar negociação às claras

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

O governo federal já avisou que a Companhia Energética de Goiás (Celg) será sim vendida, ou melhor, entregue, à iniciativa privada. E apesar dos fortes apelos de movimentos sociais, trabalhadores e sindicatos, está sendo realizada na manhã desta quarta-feira (3) uma audiência pública sobre o tema na Associação Comercial e Industrial do Estado de Goiás (Acieg), em Goiânia. Trabalhadores temem que haja confronto com a polícia durante o protesto do lado de fora da Acieg.

“Esse é mais um rito no processo de preparação para privatização da empresa, independente da audiência a luta seguirá firme e mais forte do que nunca, queira ou não os Governos Federal e Estadual, pois os urbanitários já demonstraram sua disposição de luta”,  afirma o diretor do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas no Estado de Goiás (Stiueg), João Maria de Oliveira.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

“É a hora de deixar às claras, com documentos apresentados, o que o governo pretende fazer, a sociedade precisa entender o processo que quebrou a Celg para depois vendê-la a preço de banana para a Eletrobras”, explica Wagner Alves Vilela Júnior, representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da Celg.

A Eletrobras não fez investimentos na Celg desde que assumiu o controle acionário da empresa. A Procuradoria Geral do Estado de Goiás calcula que o passivo que os goianos terão de assumir com a venda da Celg será entre R$ 3 bilhões e R$ 5 bilhões. Além disso, o Estado assumiu uma dívida com a Caixa Econômica Federal (CEF) de R$ 3 bilhões como parte do acerto de transferência da Celg para a Eletrobras.

Conforme reunião realizada em Brasília com representantes dos ministérios das Minas e Energia, Casa Civil e Relações Institucionais para discutir a privatização da Celg na última segunda-feira (1) a intenção do governo federal é vender a Celg por R$ 3 bilhões, sendo que R$ 1,8 bilhão ficariam com o estado de Goiás e o restante com o governo federal. A questão do passivo não foi sequer mencionada.

Foto: Divulgação Stiueg

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários