Greve Geral para barrar o desmonte do serviço público e a retirada de direitos

Greve Geral para barrar o desmonte do serviço público e a retirada de direitos

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

A agenda de retrocessos sociais defendida cotidianamente por Temer e seus ministros tramita a passos largos no Congresso Nacional.

Alçado ao comando do país por meio de um golpe, perpetrado pelo grande capital e suas conexões na mídia, em setores do judiciário, no congresso e nos centros do império, Temer se esforça para mostrar aos donos do dinheiro e do poder de que é capaz de entregar tudo o que prometeu para se viabilizar como “presidente da república”. Por isso, o Fora Temer é uma necessidade que a cada dia vai sendo sentida por amplas camadas da sociedade.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

O grande capital exige: desmonte do serviço público (PEC 241, PLP 257, PLS 204 etc.), entrega do pré-sal, privatizações, fim do acesso à aposentadoria, extinção dos direitos trabalhistas garantidos pela Constituição, terceirização geral e irrestrita, jornada de trabalho de até 12 horas diárias.

Diante da gravidade da situação, a Executiva Nacional da Intersindical Central da Classe Trabalhadora resolve:

1 – aproveitar o período de eleições municipais para orientar: nenhum voto em candidatos, partidos ou grupos políticos que apoiam a agenda de desmonte do Estado e a extinção dos direitos sociais;

2 – manter e ampliar o diálogo com as demais centrais, entidades e movimentos na construção da mais ampla unidade visando barrar os retrocessos e defender os direitos sociais, trabalhistas, previdenciários e humanos;

3 – somar esforços nas paralisações e manifestações no dia 22/09, nas mais diversas categorias. As ações no dia 22 (também do dia 29, para alguns setores) servirão para alavancar o processo que deve culminar numa grande greve geral no próximo período. É preciso parar a produção e a circulação na defesa dos interesses da classe trabalhadora e da maioria do povo brasileiro;

4 – participar das atividades convocadas pela Frente Povo Sem Medo. Além de apoiar e defender os eixos de luta da Frente, devemos estimular o diálogo com a juventude e demais setores que se manifestam nas ruas, fortalecendo a construção da greve geral e a mais ampla resistência social a agenda do grande capital;

5 – construir ações nos Estados e regiões, com foco nas representações do governo federal e sobre os deputados federais e senadores. Além das ações nas regiões, a luta contra os retrocessos exigirá forte pressão sobre o congresso, exigindo dos parlamentares um posicionamento contrário aos projetos que atacam a classe trabalhadora, o serviço público e a soberania nacional.

São Paulo, 15 de setembro de 2016

Executiva Nacional
Intersindical Central da Classe Trabalhadora

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

PEC 32 da REFORMA ADMINISTRATIVA é adiada, vitória dos trabalhadores
PEC 32 da REFORMA ADMINISTRATIVA é adiada, vitória dos trabalhadores
PEC 32 e o Desmonte do Serviço Público
PEC 32 e o Desmonte do Serviço Público
Intersindical contra a PEC 32 em Brasília
Intersindical contra a PEC 32 em Brasília
Inscreva-se
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais antigos
Mais recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários