Grande ato pela suspensão da dívida estadual do Rio Grande do Sul hoje às 18h30

Grande ato pela suspensão da dívida estadual do Rio Grande do Sul hoje às 18h30

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Sociedade civil, sindicatos e centrais se unem contra o bloqueio de recursos no RS para o pagamento da dívida pública do estado

Está prevista para esta quarta-feira (30), às 18h30, no Auditório Dante Barone, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, um grande atopela auditoria e suspensão do pagamento da dívida pública do Estado em conjunto com inúmeras entidades sindicais, estudantis, populares e políticas. A mobilização conta com o apoio da Intersindical Central da Classe Trabalhadora.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

“O governo do Rio Grande do Sul não paga os servidores, corta gastos em saúde, educação e segurança.Ataca os trabalhadores, mas não enfrenta de verdade os banqueiros e o governo federal. Isso se expressa na falta de um combate efetivo contra a dívida pública que sangra o Rio Grande”, afirma Neiva Lazzarotto, da Direção Nacional da Intersindical.

Um acordo assinado em 1998, pelo então presidente FHC e o então governador do Rio Grande do Sul,Antonio Britto (PMDB), previa o pagamento de R$ 10 bilhões da dívida estadual. Através dele, a União adquiria a dívida mobiliária – títulos – dos estados por um contrato único, com juros de 6% a 9% ao ano a serem corrigidos através da tabela de IGP-DI (Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna). O contrato vinha com mais condições, como o comprometimento a fazer determinadas privatizações.

“Até hoje foram pagos R$ 29,7 bilhões e ainda devemos R$ 47,1 bilhões! As cláusulas abusivas geraram este estoque da dívida. Nos termos em que a dívida foi contratada, ela é impagável! O governo do estado até suspendeu o pagamento durante duas vezes. Isso foi necessário e apoiado pelo povo. Mas o governo estadual não reage cada vez que o governo federal retém os recursos gaúchos”, afirma Lazzarotto.

O Rio Grande do Sul é a unidade da federação com maior dívida proporcional no país. Ou seja, a dívida não só ultrapassa a arrecadação, mas também os limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

A Prefeitura de São Paulo possuía o mesmo tipo de contrato, mas recentemente conseguiu retirar do cálculo da dívida a aplicação do IGP-DI mais juros de 6% a 9% ao ano, pactuado durante a era FHC, e conseguiumudar a fórmula para o IPCA mais juros de 4% ao ano.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários