Fora Gean! Toda solidariedade a greve dos trabalhadores de Florianópolis!

Nota de apoio e solidariedade ao Sintrasem e a greve dos servidores de Florianópolis:

Manifestamos todo nosso apoio e solidariedade aos trabalhadores do município de Florianópolis e seu instrumento de luta, o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Florianópolis (Sintrasem) e repudiamos a ação criminosa do Prefeito Gean Loureiro (PMDB) e do Procurador Geral do Município Diogo Pítsica, que demandam a prisão e a destituição dos diretores do sindicato.

O povo de Florianópolis iniciou o ano recebendo um ataque sorrateiro de seu novo prefeito, com apenas dez dias de mandato Gean Loureiro apresentou à câmara de vereadores um “pacotão” com quase 40 projetos de lei que corta direitos dos servidores, precariza o serviço público e ao mesmo tempo institui parcerias público privadas, facilita a liberação de alvarás de construção, licenças ambientais e ainda abate parte das dívidas de grandes empresas e bancos com o município, cujo montante passa de um bilhão de reais.

Gean pôs esse golpe em movimento depois de reunir-se com o Michel Temer, as medidas são uma versão municipal do programa do golpe que está em curso no Brasil, além de beneficiarem o capital e que explora a cidade elas preparam o terreno para as grandes medidas do governo federal. Para nivelar os direitos de toda a classe trabalhadora abaixo da CLT os golpistas querem arrancar primeiro os direitos do servidores públicos, que historicamente tiveram melhores condições de organização e luta.

Em Florianópolis a patrola dos golpistas esbarrou na luta dos servidores que assumiram a vanguarda da luta em defesa do serviço público e do povo da cidade. Em greve desde o dia 17 de janeiro pela retirada dos projetos e abertura de diálogo, os trabalhadores da prefeitura e diversas outras entidades e movimentos sociais foram tratados com truculência e repressão. Depois de uma semana de luta, denúncias e diálogo com a população da cidade, os trabalhadores lograram que vários vereadores e partidos mudassem de posição, abandonando o apoio ao pacote de maldades de Gean Loureiro.

Sem argumentos para o debate e perdendo apoio o executivo apelou para violência usando a Guarda Municipal e a Polícia Militar para tentar impedir o movimento sindical e os movimentos populares de acompanharem a votação. O tiro saiu pela culatra. Os trabalhadores seguem firmes na luta, a greve que começou em pleno janeiro engrossou com a adesão dos servidores da educação que também cruzaram os braços e não irão iniciar o ano letivo.

A greve tem adesão recorde e ao ultrapassar o vigésimo dia realizou um grandioso ato com cerca de 9 mil trabalhadores marchando pelas avenidas da cidade. Desesperado o prefeito apela mais vez para a violência e em conluio com o Procurador Geral do Município, Diogo Pítsica, pede a prisão e a destituição da direção do Sintrasem.

Esse é um ato criminoso e covarde de ataque ao Sintrasem, aos trabalhadores municipais de Florianópolis, mas também ao sindicato como instrumento de luta autônomo da classe trabalhadora e a todos os trabalhadores.

Nos somamos a campanha em defesa dos servidores municipais de Florianópolis, solicitamos também que todas as entidades, partidos,movimentos, entidades e pessoas de luta divulguem e assinem a mensagem abaixo:

 

Ao Prefeito de Florianópolis, Gean Marques Loureiro
Ao Procurador Geral da prefeitura de Florianópolis, Diogo Pítsica
À Desembargadora do TJ-SC, Vera Lúcia Ferreira Copetti 

Nós, solidários, com as exigências dos Servidores Municipais de Florianópolis, especialmente com a exigência de revogação do pacote de medidas aprovadas na Câmara de Vereadores a pedido do prefeito Gean Loureiro, que retiram direitos, cortam salários e destroem as aposentadorias, nos dirigimos a cada uma das autoridades responsáveis pela situação criada pedindo-lhes que:

  1. Retirem todas as medidas de criminalização judicial deste legítimo movimento. É expressão de um passado desprezível tratar os movimentos sindicais e populares como “Casos de polícia”.
  2. Retirem a decisão de ilegalidade da greve
  3. Retirem todas as medidas de repressão contra os servidores e seu legítimo movimento
  4. Retirem, recusem qualquer pedido de prisão dos diretores e intervenção no sindicato como se ainda se vivesse no Brasil o período da ditadura militar.

Nossa solidariedade é irrestrita com os servidores e seu sindicato e divulgaremos esta campanha no Brasil e em todo o mundo, apoiaremos política e materialmente esta luta por que nela está simplesmente em jogo uma liberdade democrática fundamental, o direito de expressão e de organização. Revoluções foram feitas em nome destes direitos.

Reafirmamos:

Nós exigimos que os direitos dos trabalhadores sejam respeitados, que sejam revogadas todas as decisões judiciais que atentem contra a liberdade sindical, que seja retirado o pedido de intervenção no sindicato e a prisão de seus diretores, que seja garantido o livre direito de greve e que sejam atendidas todas as legítimas exigências dos servidores municipais de Florianópolis que exigem a revogação do pacote de medidas que corta salários, retira direitos e destroça as aposentadorias.

*

Top