fbpx

Massacre Anunciado: Famílias da ocupação Primeiro de Maio fazem manifestação em Betim

A ocupação Primeiro de Maio em Betim está com o despejo marcado para o próximo dia 2 de Novembro. A comunidade é altamente consolidada: são dezenas de famílias, mais de 77 casas de alvenaria construídas, campo de futebol, área verde protegida, criação de animais.

A ocupação ocorreu em um terreno que há mais de 40 anos estava ocioso e servindo a práticas de especulação até que um contrato de permuta foi feito com a Nilma Incorporadora / PDG, que ainda não pagou pelo terreno, não realizou qualquer empreendimento na área e pretende despejar as famílias para entregá-lo novamente ao proprietário de origem.

A prefeitura de Betim disponibilizou para o cumprimento do despejo apenas caminhões e uma quadra poliesportiva em zona da cidade conflituosa e distante da Ocupação Primeiro de Maio. As famílias já anunciaram que estão dispostas a resistir a pesar da violência cotidiana da PM que viola todos os direitos dos moradores de periferia em Betim.

Havia uma negociação em curso realizada pela Mesa Negociadora do Estado, conduzida pelo presidente da COHAB às vésperas do período eleitoral, que que foi interrompida pelo próprio Estado que enrolou as famílias e depois retirou a comunidade da Mesa Negociadora. Agora a comunidade está prestes a sofrer um despejo violento que poderá ceifar vidas.

Não podemos pertimir que essa injustiça aconteça, clamamos para que Estado e Prefeitura de Betim se abram para a negociação, diálogo e construção de uma solução justa, digna e prévia.

Leia mais informações sobre a negociação que estava em curso na nota publicada em Junho desse ano: https://www.facebook.com/notes/brigadas-populares-minas-gerais/ocupa%C3%A7%C3%A3o-primeiro-de-maio-betim/588418128007135

NEGOCIAÇÃO SIM, DESPEJO NÃO!
#PrimeirodeMaioResiste!

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail

*

Top