fbpx

Nota da Intersindical: Extensão da Quarentena Geral e condições para toda população ficar em casa. Paga Logo Bolsonaro!

Extensão da QUARENTENA GERAL. Pagamento imediato do auxílio para toda população sem renda. Nenhuma redução ou congelamento de salários. Garantia no emprego. Fora Bolsonaro e Mourão. Impeachment e nova eleição presidencial.

O número de mortes e contaminação pela Covid 19, resultado da inação de um governo que nada faz para conter a propagação do vírus, exige a imediata extensão da quarentena. Num quadro absurdo de subnotificação de casos, o Brasil caminha para uma tragédia com possibilidades de atingir centenas de milhares de mortes. As maiores vítimas dessa tragédia são a população mais pobre, que sobrevivem em condições precárias e sem acesso aos cuidados necessários para se protegerem da contaminação.

As comunidades indígenas, a população negra, as comunidades pobres das favelas e periferias e a população em situação de rua encontram-se absolutamente desprotegidas e expostas à morte e a falta de condições para cumprir o isolamento necessário. Os profissionais de saúde, em especial, enfermeiras e técnicas de enfermagem são categorias mais expostas ao contágio e até o momento, completamente negligenciadas pelo governo. O Brasil já é o país com maior número de óbitos entre os profissionais de saúde em decorrência do COVID 19.

Enquanto o Sistema Único de Saúde, SUS, não recebe os investimentos necessários, Bolsonaro ora se preocupa em impedir investigações de seus crimes, ora tudo faz para acabar com o isolamento social necessário para conter a propagação do coronavírus. O maior obstáculo ao enfrentamento da Covid 19 é o próprio presidente da República e seu governo genocida.

O governo da extrema direita e os círculos neoliberais se aproveitam da pandemia para avançar nas “deformas” que atacam direitos sociais e trabalhistas, desmontam o Estado e o serviço público e entrega nossas riquezas ao capital financeiro.

Ao invés de pagar o auxílio emergencial para toda a população sem renda, garantir a integralidade e correção dos salários, impedir as demissões e socorrer as micro e pequenas empresas, fortalecer o serviço público e aumentar o gasto público em patamar necessário para estimular a atividade econômica, Bolsonaro e os partidos neoliberais agem em sentido contrário, com políticas inaceitáveis de atendimento das exigências do capital financeiro e do rentismo, como o que estabelece a PEC 10 e diversos outros projetos em tramitação no Congresso Nacional. Não é aceitável atender banqueiros ao mesmo tempo em que deixa a população sem proteção social, que congela salários do funcionalismo e ataca o serviço público.

É necessário unir todos os setores que se dispõem a lutar em defesa dos direitos e do serviço público e contra o desmonte do Estado. A unidade avançada das Frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular em diálogo permanente com os partidos de esquerda e o Fórum das Centrais, e o diálogo com outras iniciativas, como o Projeto Brasil Nação, o Pacto pela Democracia, o Fórum sindical e popular (estimulado pelo Andes) é um caminho necessário para a mobilização e pressão social, neste momento restrita à ações virtuais.

Por outro lado, o bolsonarismo não esconde suas pretensões autoritárias. As liberdades democráticas encontram-se sob sérios riscos com as reiteradas investidas de Bolsonaro. Não há mais espaço para vacilação na busca por estabelecer ampla unidade de ação de todas as forças políticas que se dispõem a defender a democracia. O inimigo principal da classe trabalhadora e da democracia neste momento é Bolsonaro, que a todo instante busca estimular o ódio e a violência da sua base protofascista, naturalizando o AI-5, o fechamento das instituições e a ditadura. O comportamento de Bolsonaro diante da pandemia explicita sua tática de levar o país ao caos social, para, assim, justificar o fechamento do regime e das liberdades democráticas.

Assim, a bandeira do Fora Bolsonaro vai ganhando os mais diversos setores. Cabe, neste momento, unificar todas as iniciativas para interromper, o mais breve possível, a política do caos e genocida de Bolsonaro. Não podemos aceitar a falsa disjuntiva de ter de escolher entre o governo dos milicianos (Bolsonaro) ou um governo dos generais (Mourão), ou mesmo aguardar a rede Globo e os neoliberais viabilizarem o governo da ditadura judiciária ligada diretamente à CIA (Moro). É preciso novas eleições presidenciais já, para que a maioria da população possa decidir os rumos do país, sem tapetão ou novos golpes.

A militância da Intersindical se esforçará para viabilizar uma saída progressista, democrática e de esquerda para o Brasil. Ao lado da Frente Povo Sem Medo e Brasil Popular, devemos estimular a campanha de solidariedade (www.todomundo.org) unitária e articulada em todo o país; as iniciativas que visam estabelecer a taxação das grandes fortunas; a defesa de renda básica universal de 01 salário mínimo; a anulação da Emenda 95 e a retomada vigorosa do investimento público para gerar empregos, garantir renda e combater a depressão econômica em curso.

Exigimos políticas de proteção social a toda população trabalhadora, em particular para as pessoas desempregadas ou na informalidade. Não às demissões, aos cortes de salários e direitos, ao congelamento dos salários já defasados do funcionalismo público. Proteção das micro e pequenas empresas. Nenhum tostão para os parasitas banqueiros e rentistas.

Manifestamos nossa solidariedade e apoio às trabalhadoras e trabalhadores das atividades essenciais, como saúde, segurança, transportes, supermercados, farmácias, bancos e postos de gasolina, entre outros. Exigimos a imediata proteção à integridade física e emocional. Essas categorias não podem seguir expostas à contaminação e morte.Para enfrentar a pandemia e a crise econômica, é fundamental o país operar uma reconversão industrial, adaptando a capacidade instalada para enfrentar a guerra à pandemia e apontar num processo de reindustrialização sustentada da economia brasileira.

Fora Bolsonaro e Mourão. Impeachment!
Nova eleição presidencial.
Extensão da Quarentena Geral e condições para toda população ficar em casa. Paga Logo Bolsonaro!

06 de maio de 2020
Direção Nacional da Intersindical Central da Classe Trabalhadora

 

Nota da Intersindical: Extensão da Quarentena Geral e condições para toda população ficar em casa. Paga Logo Bolsonaro!

Charge: Gilberto Maringoni

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail

*

Top