Entidades lançam carta em defesa do Marco Civil da Internet

Entidades lançam carta em defesa do Marco Civil da Internet

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Entidades que lutam pelo direito à comunicação, de defesa do consumidor e ativistas lançaram Carta Aberta cobrando a manutenção do Decreto Presidencial nº 8.771/2016, que regulamenta o Marco Civil da Internet. A Carta foi protocolada no dia 8/6 na Casa Civil do da Presidência da Repúbica.

No documento, 22 organizações demonstram preocupações em relação à possibilidade do governo interino de Michel Temer ignorar a regulamentação da lei.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

As entidades destacam ser injustificada qualquer revisão do decreto,”pois foi produto de amplos debates com representantes de toda a sociedade e traz elementos fundamentais para a aplicação do Marco Civil da Internet, reduzindo incertezas e inseguranças. Ele define diretrizes para a garantia da neutralidade da rede, parâmetros para a guarda de registros e dados”. 

Garantias do Marco Civil têm grande importância

O Marco Civil da Internet veio estabelecer direitos dos usuários dos serviços de conexão à internet, depois de um amplo e democrático processo de consultas públicas promovidas pelos Ministérios da Cultura e Justiça, assim como pelo Poder Legislativo e, portanto, reflete a conjugação das forças sociais e políticas dos agentes que atuam no setor.

Conforme definido pelo Marco Civil, o acesso à internet é um serviço relevante para o desenvolvimento social, econômico e cultural e por isso é essencial para o exercício da cidadania, devendo ser objeto de políticas públicas de universalização. A comunicação social e o direito à informação, assim como a utilização de diversos serviços públicos se dão pela internet, razão pela qual desempenha também papel estratégico para os poderes públicos.

Trata-se, portanto, de serviço estratégico e de importante instrumento para o exercício da cidadania que viabiliza o Estado Democrático de Direito, especialmente quando estabelece seus pressupostos: a liberdade de expressão, a igualdade no tratamento no tráfego dos pacotes de dados e a privacidade.

Decreto contribui para internet livre e democrática

Editado no último dia 11 de maio, o Decreto Presidencial foi resultado de diversas consultas públicas, respaldado por processo democrático de formulação, bem como um sistema para fiscalização e apuração de infrações relativas aos direitos e obrigações introduzidos pela lei.

O decreto cria condições para que o Marco Civil da Internet possa ser devidamente interpretado, especialmente no que diz respeito à aspectos sensíveis como a abrangência do direito à neutralidade da rede e condições de segurança e transparência para a coleta, guarda e acesso à dados pessoais pelas autoridades administrativas.

Qualquer remota intenção de revisar o decreto implicaria necessariamente em um novo processo de consulta pública, a fim de preservar o caráter democrático que respaldou sua edição, preservando outros direitos fundamentais tais como a comunicação, o livre fluxo de informação, direitos políticos, direito à proteção de dados pessoais, sendo imperativo que a sociedade civil esteja envolvida. 

Assinam a Carta:

  • PROTESTE
  • Access Now
  • Associação Software Livre.Org
  • Casa da Cultura Digital – Porto Alegre
  • Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé
  • Cibercult: Laboratório de Comunicação Distribuída e Transformação Política da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO-UFRJ)
  • Clube de Engenharia
  • Coding Rights
  • Colaboratório de Desenvolvimento e Participação da Universidade de São Paulo (COLAB/USP)
  • Coletivo Digital
  • Coletivo Soylocoporti
  • Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC)
  • Grupo de Pesquisa em Políticas Públicas de Acesso à Informação da Universidade de São Paulo (GPoPAI/USP)
  • Instituto Bem Estar Brasil
  • Instituto Beta: Internet & Democracia
  • Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec)
  • Instituto Nupef – Núcleo de Pesquisas, Estudos e Formação, Rio de Janeiro
  • Instituto Telecom
  • Internet Sem Fronteiras Brasil
  • Intervozes Coletivo Brasil de Comunicação Social
  • Movimento Mega
  • #redelivre

Fonte: DIAP

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários