Em Santos (SP), houve paralisação e repressão da PM contra trabalhadores que se manifestavam contra o fim da CLT

Em Santos (SP), houve paralisação e repressão da PM contra trabalhadores que se manifestavam contra o fim da CLT

Compartilhe

Saiba mais:
Câmara dos Deputados dá tiro de morte nos direitos trabalhistas
→ Nota Pública do Ministério Público do Trabalho contra a Reforma Trabalhista e apoiando a Greve Geral
→ Juízes e advogados em defesa da Justiça do Trabalho


Em Santos (SP) trabalhadores iniciaram a greve geral na madrugada fechando as duas pistas da Estrada do Sabuó, contra o fim da CLT e da aposentadoria. No entanto a Polícia Militar, controlada pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), reprimiu a manifestação que lutava pelos seus direitos.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Os manifestantes agora seguem para para a Praça Mauá, no centro de Santos.

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Inscreva-se em nosso canal no YouTube

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Intersindical no 18° Congresso Sindical. Mundial, em Roma (Itália)
Intersindical no 18° Congresso Sindical. Mundial, em Roma (Itália)
SindSaúde-SC na luta pelo Piso Nacional da Enfermagem
SindSaúde-SC na luta pelo Piso Nacional da Enfermagem
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, no 1º de Maio em SP
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, no 1º de Maio em SP
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários