fbpx

Em audiência na SEAD governo Jatene (PSDB) confirma calote ao piso

O Sintepp esteve em audiência na SEAD na tarde desta terça-feira (23) onde a pauta foi o pagamento do piso|2016. Além da Coordenação do Sindicato participaram da reunião educadores que solicitaram à direção entrada na sala. Pelo governo estavam SEAD e SEDUC.

Após a abertura da reunião, o Sintepp informou da participação da categoria nas atividades do dia 11.08, dia nacional de luta em defesa da educação pública, que também foi realizado em Belém com a presença de centenas de trabalhadores e trabalhadoras da educação e de estudantes nas ruas da capital paraense.

O Sintepp solicitou esclarecimentos sobre servidores que estão com acúmulo de cargos e que ainda não realizaram seu recadastramento. O governo informou que irá bloquear os salários de cerca de 2.171 de servidores que ainda não compareceram à Seduc sede (educadores lotados na Região metropolitana) e nas USES (demais regiões), tendo detalhamento de orientações no site da Seduc. O debate se prolongou em relação aos procedimentos administrativos e o entendimento jurídico sobre esta questão que afeta uma parcela importante da categoria. Ainda que o recadastramento esteja ativo desde abril, o Sintepp considera extrema a medida do governo de bloqueio de salário e confirmou que não aceitará tal medida, portanto solicitou que o governo estenda o prazo, corrija os erros administrativos e elabore material de divulgação com a máxima urgência a fim de evitar transtornos aos servidores.

O Sintepp solicitou uma agenda de audiência específica na Seduc no próximo 14|09, devendo o governo confirmar agenda via ofício.

Em relação ao pagamento do piso o governo expressou que reajustou apenas os salários dos servidores que recebem o salário mínimo e que os esforços do governador Simão Jatene (PSDB) são para manter o pagamento dos servidores, aposentados e pensionistas de todas as secretarias em dia e o pagamento do 13° até que a crise econômica no país se resolva. O Sintepp se contrapôs dizendo que não aceitará que os trabalhadores em educação pague pela crise, uma vez que o piso salarial é o mínimo estabelecido por lei para os educadores e que levará está decisão indecente do governo para a próxima assembleia geral da categoria.

Lembrando que no início do ano o governador afirmou que haveria crescimento econômico do Estado e agora argumenta que não tem como pagar os trabalhadores em educação, acumulando ainda mais sua dívida com o funcionalismo público.

Nesta quarta-feira (24) o Sintepp informa que haverá ato público, às 9h, em frente ao TJE para acompanhamento do Julgamento da ação do Piso, com assembleia geral para avaliar e deliberar sobre as ações da Categoria a partir deste cenário.

Fonte: Sintepp

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail

*

Top