Eleições tranquilas reforçam a força do chavismo na Venezuela

Eleições tranquilas reforçam a força do chavismo na Venezuela

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Por Edson Índio, Observador Internacional das eleições no país

Mais de 8 milhões de venezuelanos foram às urnas neste domingo, 21, consagrando vitória ao partido de Chaves e Maduro. No país, o voto é facultativo. O comparecimento, cerca de 42%, foi bastante superior a última eleição, quando a oposição boicotou a consulta popular.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Na noite deste domingo, horas após o fechamento das urnas eletrônicas, o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) divulgou os resultados da disputa para o governo de 23 estados, 323 prefeituras e para os parlamentos regionais e municipais.

A oposição de direita conquistou o governo do estado de Zulia, que tem grande importância por ser o mais populoso do país, por suas riquezas minerais e petrolíferas e sua localização (fronteira com a Colômbia). A direita ganhou também o estado de Cojedes além de manter o controle sobre o governo de Nova Esparta.

Afora esses estados, a população venezuelana foi às urnas, majoritariamente, para dar vitória ao partido do presidente Nicolas Maduro.

O importante estado de Miranda, governado até então pela direita, votou para eleger o chavista Hector Rodrigues, do PSUV, jovem liderança do partido governista. Também a prefeitura da capital Caracas passa a ser governada pelo chavismo, com a eleição de Carmem Melendez, eleita com 58,1% dos votos.

A vitória do Grande Polo Patriótico, coalizão liderada pelo PSUV, nos 20 entre 23 estados, além da capital do país, reforça o governo de Maduro e o processo bolivariano de mudanças no país, que desde a vitória de Chaves em 1999 venceu 27 das 29 eleições realizadas neste país que segue aprofundando seu processo de mudanças, mesmo sob o criminoso bloqueio econômico norte-americano e toda sorte de sabotagens e tentativas de desestabilização.

Como Acompanhante Internacional das eleições pude verificar um clima de normalidade durante todo o processo de votações. E ao longo da semana em que estou aqui o que vi nada lembra o cenário traçado pela grande mídia brasileira. Apesar da crise econômica que castiga o povo, na cidade de Caracas e região onde estou, o que tenho visto lembra o clima de qualquer grande cidade, com muito movimento de carros, muita gente nos terminais de ônibus, nos centros comerciais, nos locais de lazer. E quase não se vê pessoas sem máscara, neste país que enfrentou as dificuldades do bloqueio econômico até para garantir a vacinação de seu povo contra a COVID, cuja cobertura vacinal já ultrapassa os 75% da população.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

PEC 32 e o Desmonte do Serviço Público
PEC 32 e o Desmonte do Serviço Público
Intersindical contra a PEC 32 em Brasília
Intersindical contra a PEC 32 em Brasília
2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários