Dieese: 1º semestre teve as piores negociações salariais desde 2008

Dieese: 1º semestre teve as piores negociações salariais desde 2008

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

O Sistema de Acompanhamento de Salários do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (SAS-DIEESE) verificou que o 1º semestre deste ano obteve o pior resultado para os trabalhadores brasileiros desde o início da contagem, em 2008.

Nos primeiros seis meses deste ano, 14,6% das negociações salariais ficaram abaixo da inflação pelo INPC-IBGE (contra 2,6% no mesmo período do ano de 2014), ou seja, reduziram o poder de compra dos trabalhadores.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

As negociações que empataram com a inflação subiram. Passaram de 4,6% no ano passado para 16,9% atuais.

E as negociações que ficaram acima da inflação? No 1º semestre de 2014 eram 92,7% e agora caíram para 68,5%. Dentre esse porcentual, 44% das negociações se concentraram na faixa de até 1% de ganho real.

Já o valor médio do aumento real dos salários, que antes era de 1,46% agora caiu para 0,51%.

Questão de interpretação

A grande mídia tem estampado que 69% das negociações salariais conquistaram aumentos reais sem, contudo, comparar com os índices de anos anteriores. Para se ter uma ideia: em 2013 foram 83,7%;em 2012 foram 95,7% e em 2011 foram 83,7%. O resultado de 2015 foi o pior desde 2008 (77,5%) quando este tipo de estatística começou a ser computada.

Não é novidade para a esquerda que esse tipo de crise econômica fabricada pela direita tem como um dos objetivos o achatamento de salários. É preciso fortalecer a luta e conscientizar os trabalhadores!

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários