Hoje é o dia Nacional de Luta e Paralisações em Defesa dos Direitos dos metalúrgicos

Hoje é o dia Nacional de Luta e Paralisações em Defesa dos Direitos dos metalúrgicos

Trabalhadores cruzam os braços. Greve. Paralisação

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Metalúrgicos de diversas capitais brasileiras fazem manifestações contra as propostas de reformas sugeridas pelo governo federal e em defesa de direitos. O ato unitário reúne federações, confederações e centrais sindicais em uma ação preparatória para uma greve geral.

A categoria enfrenta o desemprego e terceirização enquanto no Congresso Nacional tramitam leis para enfraquecer ainda mais a vida dos trabalhadores. A GM de São Caetano (SP), por exemplo, já anunciou novas demissões para depois das eleições municipais deste domingo (2). Antes de 2013 a montadora somava mais de 10 mil trabalhadores. Atualmente este número caiu para aproximadamente 6.500 funcionários. Cerca de 850 empregados já estão em regime de layoff, que é a suspensão temporária do contrato de trabalho.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Em São Paulo, o protesto começou às 9h, na Praça Lorenzetti, na Moóca, zona leste, e seguiu em passeata pelas avenidas do Estado e Presidente Wilson. Na zona sul, a concentração foi próxima da Ponte do Socorro.

Em Campinas, os trabalhadores paralisaram os serviços nas fábricas da Benteler Componentes Automotivo e Samsung. Os funcionários do complexo Amsted Maxion, em Hortolândia (SP), da Toyota Brasil, em Indaiatuba (SP), e da Honda, em Sumaré (SP), também paralisaram a produção.

No Paraná, os funcionários das principais montadoras com sede no estado, como Renault, Volkswagen, Volvo, Audi, Bosch, entre outras, iniciaram os protestos às 6h da manhã.

Metalúrgicos de Curitiba e São José dos Pinhais, na região metropolitana, protestam desde as 6h desta quinta-feira (29) contra os cortes de direitos dos trabalhadores. Eles também exigem que o governo adote medidas que acelerem a economia e retomem o emprego no setor.

No Rio Grande do Sul, metroviários se juntaram à luta. Os metalúrgicos se concentraram em frente à fábrica da General Motors, em Gravataí. E os metroviários liberaram as catracas em estações do Trensurb de Canoas (La Salle) e São Leopoldo.

Uma mobilização de servidores estaduais contra o parcelamento de salários, a PEC 241, as reformas trabalhistas e da previdência trancou o trânsito na Avenida Borges de Medeiros, região central de Porto Alegre.

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Manifestação contra a #PEC32
Manifestação contra a #PEC32
#7SForaBolsonaro
#7SForaBolsonaro
Raul Campos, trabalhador da #PROGUARU, no 7S Fora Bolsonaro!
Raul Campos, trabalhador da #PROGUARU, no 7S Fora Bolsonaro!
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários