Congresso ignora o reajuste do Judiciário

Congresso ignora o reajuste do Judiciário

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Ainda não há data marcada para a votação do veto ao reajuste dos servidores do Judiciário

O Congresso Nacional manteve a maioria dos 32 vetos presidenciais votados pelos parlamentares. Mas, por falta de quórum e de acordo, a sessão que começou por volta das 20h45 da terça-feira (22), foi encerrada pelo presidente Renan Calheiros às 2h20 desta quarta-feira (23).

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Ainda não há data marcada para a votação dos seis vetos que não foram votados, entre eles o do reajuste dos servidores do Judiciário (que sofrem com a perda salarial de 9 anos de salários congelados), o que trata de terrenos da marinha e o que atrela as aposentadorias ao reajuste do salário mínimo.

Durante todo o dia de ontem (22), milhares de servidores do Poder Judiciário ocuparam o gramado, as galerias do Plenário da Câmara e as dependências do Congresso, com muito barulho, carros de som, apitos e protestos, para tentar sensibilizar os congressistas a derrubar o veto da presidente Dilma Rousseff. Essa mesma cena já havia se repetido por várias vezes desde que o reajuste foi vetado, no final de julho.

Judiciário

O reajuste dos servidores do Judiciário foi aprovado nas duas Casas do Congresso antes de ser vetado pela presidente.

Madalena Nunes, diretora da Fenajufe (Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e Ministério Público da União), lembra que os servidores apenas lutam pela reposição da inflação em 56%. “A categoria está indignada, o governo quer é terceirizar e fragilizar o Ministério Público”, afirma.

O impacto do reajuste sobre os cofres públicos neste ano será de R$ 10,5 bilhões, segundo Madalena Nunes. Os R$ 25, 7 bilhões serão divididos em 3 anos.

Os servidores do Judiciário não têm data-base para definir a recomposição salarial, como outras categorias. Toda e qualquer alteração no plano de carreiras e salários precisa passar pelo Congresso Nacional.

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários