I Congresso do SindSaúde/SC: Trabalhadoras(es) da saúde debatem defesa do SUS

I Congresso do SindSaúde/SC: Trabalhadoras(es) da saúde debatem defesa do SUS

Congresso do SindSaúde-SC: Trabalhadoras(es) da saúde debatem defesa do SUS

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Trabalhadores em defesa do SUS

Trabalhadoras e trabalhadores da saúde em Santa Catarina associados ao SindSaúde/SC lotaram as cadeiras do auditório da Fetaesc para dar início ao primeiro congresso da história do Sindicato, que começou nesta quarta-feira (29/11) e vai até sexta-feira (1º/12).

A presidente do SindSaúde/SC, Simone Bihain Hagemann, comandou a mesa de abertura saudando aos delegados e delegadas de todas as regiões presentes no I Congresso do SindSaúde, à comissão organizadora e aos representantes de entidades parceiras. Lembrou da realização de mais de 50 plenárias para eleição desses delegados e agradeceu o empenho da equipe organizadora do evento.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Simone destacou também a importância deste momento histórico para a luta da categoria da saúde.  “Esse Sindicato de luta, reconhecido em Santa Catarina, faz seu primeiro Congresso em 66 anos de história em um momento crucial para a luta de toda a classe trabalhadora. Nesses 3 dias nós vamos reforçar nossa luta, vamos traçar nosso plano de lutas para os próximos anos e fortalecer a categoria da Saúde”, analisou a presidente.

Plenária de abertura

A mesa de abertura foi composta por representantes de entidades convidadas que compareceram para cumprimentar a categoria da Saúde.

Estiveram presentes Edson Fortuna (Associação dos Praças de Santa Catarina), Leandro Vidal (Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras do IBGE), Nilza Pereira (Intersindical Central da Classe Trabalhadora), Anna Julia Rodrigues (Central Única dos Trabalhadores), Marcio Fortes (Fórum Catarinense em Defesa do SUS e Contra as Privatizações), Adriano da Cunha (Federação dos Trabalhadores na Agricultura), João Paulo Silvestre (Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência) e Antônio Martins (Sindicato dos Trabalhadores no Transporte de Florianópolis e Região).

Representantes das centrais sindicais Intersindical e CUT, Nilza e Anna Júlia coincidiram em defender a unidade da classe trabalhadora e de que os sindicatos fortaleçam suas lutas filiados a Centrais.

Fortuna e Vidal, da Aprasc e Assibge, respectivamente, parabenizaram o SindSaúde/SC pela vanguarda desempenhada na luta dos trabalhadores em Santa Catarina nas últimas décadas. “SindSaude/SC é referencia para os trabalhadores do nosso estado, exemplo de força, raça, sempre na linha de frente”, disse o representante da Assibge.

O vice-presidente da Fetaesc, Adriano da Cunha, também defendeu a união dos trabalhadores. “Aqui está uma categoria que me identifica. Junto com a categoria dos trabalhadores rurais, a saúde pode parar a sociedade. Esses laços entre categorias são fundamentais. Que a gente trabalhe e lute para defender os trabalhadores urbanos e rurais”, argumentou.

No mesmo tom, João Paulo, do Sindprevs/SC, criticou as reformas pretendidas e praticadas pelo governo federal e pediu articulação. “As reformas em curso não são para nós, para a maioria trabalhadora. Não é um projeto para nós porque entrega tudo aquilo que poderia garantir o direito da população. Precisamos organizar nosso contragolpe”, defendeu o sindicalista.

Antônio Martins, do Sintraturb, lembrou emocionado do dia em que os trabalhadores do transporte fizeram um dia de paralisação em apoio à greve histórica do SindSaúde/SC em 2012. “Fomos criticados na sociedade por isso, e hoje me orgulho de estar aqui com vocês”, comentou Martins.

Por fim, o representante do Fórum Catarinense em Defesa do SUS e Contra as Privatizações, Marcio Fortes, arrancou aplausos da plenária ao afirmar que é necessário que a categoria saia deste Congresso convicta de que é preciso mudar essa realidade inaceitável de desmonte do SUS. “Precisamos defender um SUS de qualidade e o serviço público, com toda nossa força e vigor”, afirmou o militante.

Coral do Hospital Florianópolis apresenta música em homenagem ao SindSaúde/SC

Fundado por trabalhadoras e trabalhadores do Hospital Florianópolis em 1996, mais uma vez o Coral do HF se apresentou em eventos do SindSaúde/SC. Regidos pelo maestro Fernando Tadeu, as cantoras e cantores interpretaram canções de Chico Buarque, Vinícius de Morais, o Rancho de Amor à Ilha, e temas locais de compositores como Daniel Lucena.

Ao final da apresentação, a surpresa. Um dos integrantes do coral e trabalhador do Hospital Florianópolis, Jorge Tadeu Dutra, compôs uma música em homenagem às lutas do Sindicato. Foi a estreia em apresentações da canção chamada Por nenhum direito a menos.

“A primeira coisa que eu pensei foi na luta, porque Sindicato é luta. Luta por direitos, por liberdade, por justiça social. Em cima disso eu fiz a letra”, contou o compositor e trabalhador da saúde há 38 anos.

Debate sobre a defesa do SUS com Elsa Roso

Após esclarecimentos e a aprovação unânime pela plenária do regulamento do Congresso, a assistente social Elsa Roso foi convidada a falar sobre caminhos de organização da classe trabalhadora na defesa do SUS (Sistema Único de Saúde).

De início, Elsa falou sobre o que considera uma distorção de compreensão que é difundida no Brasil. “Essa história de que defender a saúde é coisa de comunista é pura bobagem. Saúde não é coisa de comunista. São direitos básicos, fundamentais. Inclusive a burguesia fez questão de implementar esses direitos em diversos países, justamente para criar condições para que os trabalhadores produzam mais”, argumentou, para em seguida tratar do ataque da burguesia nacional e internacional à saúde brasileira.

A trabalhadora e pesquisadora fez um resgate histórico da trajetória de construção do SUS, desde sua criação em 1988. Criticou a inclusão do que chamou de lógica privatista dentro do SUS, incentivada sobretudo com o último ciclo de expansão do Sistema, nos anos 2000. Segundo ela, essa lógica contribuiu para que hoje, com a conjuntura desfavorável, haja possibilidade de implantação de lógicas privadas ainda mais profundas e, com isso, de um desmonte total do SUS.

Por fim, Roso defendeu a necessidade da organização da classe trabalhadora para além das categorias, com a formação de uma grande unidade em defesa de direitos. Segundo ela, não há mais margem de negociação por dentro da estrutura institucional. O principal desafio para a categoria no momento consistiria em articular a luta para além das bandeiras históricas dos movimentos de defesa pelo SUS. “Este Congresso é o espaço propício para a organização desta luta”, concluiu a palestrante.

Após a palestra, as trabalhadoras e trabalhadores presentes na plenária promoveram uma discussão sobre suas experiências no trabalho cotidiano da saúde e na defesa do SUS.

Congresso continua nesta quinta-feira

A programação do I Congresso do SindSaúde/SC continua nesta quinta-feira (30/11) logo pela manhã, às 9h, com o debate “De que lado você está? Reflexões sobre a conjuntura brasileira”, com o dirigente nacional do Movimento de Trabalhadores Sem Teto Guilherme Boulos.

Pela tarde, está programada uma mesa de debate sobre a reorganização da classe trabalhadora e filiação à Central Sindical, além da apresentação das 10 teses inscritas no Congresso. O dia termina com a realização de grupos de trabalho para a discussão das teses.

Fonte: SindSaúde-SC


INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Siga-nos no INSTAGRAM
Inscreva-se aqui em nosso canal no YouTube

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários