fbpx

Opinião articles

Odilon Guedes | Sem luta política não há saída para o Brasil

Odilon Guedes | Sem luta política não há saída para o Brasil

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora “Sem luta política não há saída para o Brasil”. A afirmação é do economista e professor universitário Odilon Guedes, mestre em Economia pela PUC, diretor do Sindicato dos Economistas do Estado de São Paulo e da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Nível Universitário. Em entrevista exclusiva ao site da

Paulo Kliass | Taxa de juros ou depósito compulsório?

Paulo Kliass A atual prioridade concedida pelo Ministério da Fazenda, em termos de política econômica, tem sido direcionada à obtenção da meta de superávit primário. Apesar de todas as dificuldades para cumprir com os objetivos de redução de despesas do Orçamento da União, permanece a intenção oficial de atingir os 1,1% do PIB como valores

Aldo Santos | O terror como ação política

Aldo Santos* As greves estaduais dos professores desempenham um papel pedagógico fundamental nesse momento polarizado entre o continuísmo governamental e o retrocesso fascista. Ao pautar a conjuntura, a educação chama atenção para a falta de prioridade e investimento neste setor, politiza e supera o debate conjuntural maniqueísta e aponta o caminho para a superação do

Rui Muniz | Saúde do trabalhador: CNI pressiona para esvaziar NR12

Rui Muniz* A revisão da Norma Regulamentadora – NR 12, que trata da Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos, na redação dada pela portaria SIT nº 197, de 17/12/2010, foi um avanço na regulação das condições do trabalho na busca da saúde e segurança plena dos trabalhadores na operação de máquinas e equipamentos. Além

Amauri Soares | Redução da maioridade penal: ilusão ou demagogia?

Amauri Soares* Enfim, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprovou o projeto que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos, dando aval para a tramitação da matéria. Este fato tem tudo a ver com a conjuntura política do Brasil, onde a massa popular quer uma resposta direta e reta

Aldo Santos | Total solidariedade aos servidores acampados na Câmara de S. B. do Campo

Aldo Santos* Em greve desde o dia 13 de março de 2015, os funcionários da cidade de São Bernardo do Campo estão dando uma grande demonstração de união, organização e determinação naquilo que pleiteiam. O prefeito da cidade é um experiente sindicalista, já foi presidente do sindicato dos metalúrgicos de São Bernardo, presidente da Central

Bernadete Menezes | Não à violência de Richa e ao arrocho de Dilma

Bernadete Menezes* O que aconteceu no Paraná é inaceitável! Às vésperas do 1º de maio, um verdadeiro massacre contra professores, acompanhado pelo governador Beto Richa (PSDB), que assistia e torcia do alto de seu gabinete, como mostram vídeos nas redes sociais. Está claro. Este é o método para impor o arrocho comandado pelo governo Dilma

PL 4330 institucionaliza a burla, diz Ricardo Antunes, professor da Unicamp

Do Jornal da Unicamp – Edição de 11/5/2015 a 17/maio/2015 – Nº 624 – Texto: Carlos Orsi Entrevista dada ao Jornal da Unicamp pelo sociólogo e professor Ricardo Antunes (foto acima), da Unicamp, sobre o projeto de lei (PL 4330), que regulamente a terceirização. Para o professor Antunes, o PL institucionaliza a burla, equivale a

Confira entrevista com o desembargador Grijalbo Coutinho, o maior critico da terceirização

Enquanto avança no Congresso Nacional o Projeto de Lei nº 4330 que amplia a terceirização do trabalho no Brasil para a atividade-fim, uma voz contrária à sublocação de mão de obra ganha corpo na Justiça do Trabalho. Trata-se do desembargador Grijalbo Coutinho, do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-DF/TO), um dos críticos mais

Souto Maior: Terceirização – desabafo, desmascaramento e enfrentamento

1. Desabafo Não consigo deixar de iniciar um texto sobre a aprovação de um projeto de lei que amplia a terceirização no país sem fazer um desabafo, afinal tentei, insistentemente, conforme expresso em várias manifestações e artigos escritos desde meados da década de 90[1], quando a Súmula 331 foi adotada, a qual tantos defendiam por

PL 4.330/04: maldade explícita e ilusão

1. A MALDADE EXPLÍCITA Os defensores do PL 4.330/04 tentam vender a ideia de que estão fazendo um bem para os trabalhadores, apresentando a medida, inclusive, como necessária para ajudá-los, conforme relevado na exposição de motivos do projeto: O mundo assistiu, nos últimos 20 anos, a uma verdadeira revolução na organização da produção. Como conseqüência, observamos

Edson Carneiro – Índio: Não ao PL 4330. Barrar a terceirização e a precarização do trabalho

Edson Carneiro Índio, Secretário Geral da INTERSINDICAL Central da Classe Trabalhadora. O presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha garante que o PL 4330 será votado no dia 7 de abril. Isso significa que os trabalhadores e setores populares devem ampliar o debate e preparar a mobilização para barrar a ofensiva patronal que busca ampliar

Vladimir Safatle: Quem nos governa?

Estamos em 1860. O Império Britânico acaba de vencer a famosa “Guerra do Ópio” contra a China, talvez uma das páginas mais cínicas e criminosas da história cínica e criminosa do colonialismo. Metade do comércio da Inglaterra com a China baseia-se na venda ilegal de ópio. Diante da devastação provocada pela droga em sua população,

Top