Câmara deve votar hoje redução da maioridade penal

Câmara deve votar hoje redução da maioridade penal

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora

A votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 171/93 que reduz a maioridade penal de 18 anos para 16 anos no caso de crimes hediondos, homicídio e roubo qualificado está prevista para começar hoje, sob o patrocínio do famigerado presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

“A redução da maioridade penal é um retrocesso porque não garante as políticas públicas necessárias para a nossa juventude hoje. Estamos mais uma vez seguindo o caminho da prisão para resolver um problema histórico de desigualdade no Brasil”, afirma Paula Coradi, da Secretaria da Juventude Trabalhadora da Intersindical da Classe Trabalhadora.

Estudantes e representantes de movimentos sociais estão em Brasília desde a manhã protestando na frente do gramado do Congresso contra a proposta.

“Hoje o Congresso Nacional e Brasília são nossas arenas de luta política contra a redução de direitos, reduzir a maioridade penal piora a situação já dramática da juventude brasileira”, diz Kauê Scarim, diretor de Políticas Educacionais da UNE.

Discussões acirradas

No início da tarde, a Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados realiza audiência pública sobre a eficácia e a constitucionalidade da proposta de redução da maioridade penal.

O Ministério da Justiça estima que mais de 40 mil jovens ingressarão nas prisões brasileiras com a aprovação da PEC.

Para o deputado federal Ivan Valente (PSOL) “esse debate está sendo feito de forma enviesada, sem levar em consideração estudos aprofundados sobre o tema”. “A pressa em votar trabalha na lógica de atender ao sensacionalismo da chamada grande imprensa e alimentar a indústria do medo no país”, diz ele.

Líderes da base aliada se reuniram com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para discutir o posicionamento do governo durante a votação.  O ministro também deve ir ao Congresso à tarde para debater a redução da maioridade, em audiência pública na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Violência contra Jovens Negros e Pobres.

PEC

Para ser aprovada, a PEC 171/93 precisa de 308 votos de deputados em duas votações em plenário. Se aprovada pela Câmara,a proposta seguirá para a apreciação do Senado.

A votação está prevista para começar só no final da tarde. O presidente da Câmara,Eduardo Cunha (PMDB-RJ),avisou que vai controlar a entrada do público nas galerias do plenário durante a votação. Serão distribuídas senhas “de forma proporcional ao tamanho das bancadas”.

Leia também:
Carta da Frente Contra a Redução da Maioridade Penal sobre a PEC 171
Amauri Soares | Redução da maioridade penal: ilusão ou demagogia?
Estudo do Ipea discute redução da maioridade penal e o mito da impunidade
Moção de repúdio da INTERSINDICAL à PEC 171 que reduz a maioridade penal

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários