Caixa deixará de pagar insalubridade para avaliadores de penhor

Caixa deixará de pagar insalubridade para avaliadores de penhor

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Movimento sindical se organiza para fazer perícia técnica e contestar decisão, anunciada pelo banco na última terça-feira, 5.

Em comunicado aos empregados na última terça-feira, 5, a Caixa afirmou que deixará de pagar aos avaliadores de penhor o adicional de insalubridade, benefício que corresponde a meio salário mínimo (R$ 440). A decisão tem como base laudos técnicos realizados pelo próprio banco nas unidades onde a função é executada e será válida já a partir de julho.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

A Comissão dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa) questiona os pareceres apresentados e se organiza para realizar uma perícia nos locais de trabalho e avaliar se persistem ou não os riscos a que são expostos esses profissionais. De acordo com Dionísio Reis, membro da CEE/Caixa, já foi acionada assessoria jurídica para dar suporte ao trabalho. A Comissão também está contratando perícia técnica e contatou a Fundacentro, entidade vinculada ao Ministério do Trabalho com expertise na área de segurança, higiene e saúde no trabalho.

Para a diretora de Saúde e Condições de Trabalho do Sindibancários/ES, Lizandre Borges, não foram feitos investimentos suficientes para garantir condições de trabalho adequadas e salubres aos avaliadores de penhor, o que torna a decisão do banco “absurda”. “Nem os equipamentos que a Caixa fornece são apropriados para a atividade. As luvas fornecidas rasgam com facilidade, não existem pias exclusivas entre outros problemas. O banco está criando para si um passivo trabalhista, retirando um direito previsto em lei para compensar uma atividade que traz riscos à sua saúde do trabalhador”, diz Lizandre.

Leonardo Barros Ribeiro, avaliador de penhor na agência Goiabeiras, Vitória, reforça a crítica à Caixa. “A única coisa que o banco faz é fornecer EPI (Equipamento de Proteção Individual), mas isso não descaracteriza a insalubridade, apenas cumpre uma exigência legal”, diz Leonardo, fazendo referência às leis de segurança do trabalho que determinam o uso do equipamento para os avaliadores em função do manuseio de ácidos, como o nítrico e o clorídrico. A manipulação de produtos químicos tóxicos está entre os principais riscos da função.

Leonardo também questiona os investimentos que a Caixa diz ter feito, como a instalação de exaustores. “Não há exaustores em nenhuma unidade do Espírito Santo. Existe, na verdade, um ventilador que cumpre o papel contrário ao de um exaustor. Ao invés de renovar o ar exaurindo os gases tóxicos, o aparelho espalha no ambiente a fumaça e os vapores dos ácidos. É um espalhador de ácido!”, denuncia.

Segunda a coordenadora da CCE, Fabiana Mateus, a expectativa é que os resultados da perícia técnica feita pelo movimento sindical estejam prontos até a próxima terça-feira, 12 de junho, quando acontecerá uma reunião de negociação extraordinária com a Caixa em que o problema será tratado. Para Fabiana, os lucros do banco não justificam a medida, que precariza ainda mais o trabalho dos empregados.

“O benefício de R$ 440 não paga a saúde do trabalhador e nem fará diferença para a Caixa, que lucra bilhões todos os anos. Se preciso for, mobilizaremos a categoria”, ressalta.

Fonte: Sindicato dos Bancários do Espírito Santo com informações da Fenae

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários