Bolsonaro privatiza Programa Nacional de Imunização e atenta contra pacto federativo

Compartilhe

Por Gilberto Maringoni

Já é um acinte existirem testes privados para diagnóstico de Covid-19. Estamos em meio a uma catástrofe sanitária que envolve potencialmente toda a população. Não pode haver comercialização de um instrumento utilizado para se aferir o desenvolvimento da doença.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Não bastasse isso, vem a segunda etapa: a imunização deixa de ser política pública – e portanto direito – e passa a ser decisão de grandes empresas privadas.

A história de que as corporações querem imunizar seus funcionários e efetuarem uma “doação” ao Estado é lorota. Agora, os grupos de ricos – e não os grupos de risco – poderão furar a fila, sob a alegação de terem comprado o medicamento.

Se o empresariado – que em sua maioria apoia Bolsonaro – quer fazer alguma boa ação, que compre as vacinas e doe a totalidade ao Estado. Caso isso não aconteça, é obrigação do poder público confiscar as doses importadas e distribuí-las nacionalmente via SUS.

Fonte: Portal Disparada

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Intersindical no 18° Congresso Sindical. Mundial, em Roma (Itália)
Intersindical no 18° Congresso Sindical. Mundial, em Roma (Itália)
SindSaúde-SC na luta pelo Piso Nacional da Enfermagem
SindSaúde-SC na luta pelo Piso Nacional da Enfermagem
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, no 1º de Maio em SP
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, no 1º de Maio em SP
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários