ES: Bancários vão discutir cenário político e organizar ações contra ajuste fiscal

ES: Bancários vão discutir cenário político e organizar ações contra ajuste fiscal

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Plenária organizada pelo Sindibancários/ES vai contar com exposição de Lívia Moraes, pesquisadora e docente da UFES, sobre a PEC55/2016 e o ajuste fiscal.

O avanço do autoritarismo das instituições brasileiras e do ajuste fiscal exigem dos brasileiros uma posição organizada em defesa da democracia e dos direitos historicamente conquistados. Para ouvir e articular os bancários para o grande dia nacional de protesto agendado para sexta (25), o Sindibancários/ES organiza plenária pública na segunda-feira (23), às 18h30, no auditório da entidade sindical, no Centro de Vitória.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Além da discussão organizativa a plenária contará ainda com exposição sobre PEC 55/2016 (PEC 241) e o ajuste fiscal imposto pelos poderes aos brasileiros para conter a crise político-econômica em curso no Brasil. A exposição será feita pela professora universitária e pesquisadora Lívia Moraes, da Universidade Federal do Espírito Santo.

Os bancários esperam tirar uma posição sobre a participação dos bancários no próximo ato, quando nacionalmente dezenas de categorias vão paralisar atividades em protesto contra o ajuste fiscal. Em Vitória, no último dia 11, milhares de pessoas foram às ruas dizer não às medidas de austeridade em protesto contra a PEC 55 e o ajuste fiscal.

“Estamos vivendo um momento em que todos os brasileiros, trabalhadores e estudantes, crianças e idosos, estão sob ataque. Os bancários serão extremamente prejudicados pelo ajuste com a possibilidade de aprovação da terceirização e a ameaça de privatização dos bancos públicos. Precisamos estar juntos e organizados para barrar nas ruas, de forma organizada e coletiva, para impedir a retirada de direitos”, convida Thiago Duda, diretor do Sindicato, para a plenária.

Ataques por todos os lados

O mesmo Congresso Nacional que articula anistia aos crimes de caixa dois e aprova indiscriminadamente privilégios à categorias centrais para o silenciamento da indignação contra a retirada de direitos, como o judiciário, outras categorias, estudantes e as parcelas mais desprotegidas da população são atacadas por medidas que visam descaracterizar os princípios cidadãos da Constituição de 1988.

A PEC 55, que muda o texto constitucional e desobriga o estado a garantir investimentos mínimos para educação e saúde, interrompe a política de valorização do salário mínimo e a aposentadoria por vinte anos está no centro das lutas populares neste momento.

A MP 746, de reforma do ensino médio, que desestrutura o currículo e a LDB sem discussão popular, retirando disciplinas centrais para a leitura da sociedade, além da diminuição de vagas e de verbas nos Institutos Federais e Universidades mobiliza também estudantes secundaristas e universitários ao redor do Brasil.

A reforma da previdência, que estipula idade mínima para aposentadoria, a PL4330, que institui a terceirização em atividades-fim, a criminalização do direito de greve e diversos outros projetos mobilizam as lutas populares que tomam corpo ao redor do Brasil em resistência aos ataques do governo golpista.

Fonte: Sindicato dos Bancários do Espírito Santo

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Manifestação contra a #PEC32
Manifestação contra a #PEC32
#7SForaBolsonaro
#7SForaBolsonaro
Raul Campos, trabalhador da #PROGUARU, no 7S Fora Bolsonaro!
Raul Campos, trabalhador da #PROGUARU, no 7S Fora Bolsonaro!
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários