Para Associação dos Fiscais do RS, motivos para pagar R$ 650 aos servidores são falsos

Compartilhe

O presidente da Afisvec (Associação dos Fiscais de Tributos Estaduais do RS), Abel Ferreira, afirmou, nesta sexta-feira (29), que os argumentos do governo Sartori (PMDB) para pagar apenas R$650,00 aos servidores públicos não são verdadeiros.

Na versão do Secretário Estadual da Fazenda, Giovani Feltes, o Rio Grande do Sul passa por uma progressiva queda na arrecadação de impostos. Essa queda seria a responsável pelo parcelamento dos salários dos servidores e pela redução do valor de corte para R$ 650,00.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Para o presidente da Afisvec, “parte do que o governo tem divulgado não é verdade. Neste mês, por exemplo, a arrecadação do Estado cresceu, em valores nominais, quase 17% com relação a julho do ano passado.

O incremento real, descontada a inflação, foi de 5%. Se retirarmos o acréscimo correspondente ao aumento do ICMS, ainda resta um crescimento de 2,5% na arrecadação”. Abel vê, ainda, outras motivações para as afirmações do governo. “Em nossa visão, formada por técnicos que atuam dentro da Fazenda, há intenção de sustentar um discurso político que cria o problema para faturar com uma solução política”, afirma.

Além das denúncias da Afivesc, existem informações, de dentro da Secretaria da Fazenda, indicando uma variação na arrecadação de ICMS, de julho/15 para julho/16, na ordem de R$ 350 milhões a mais, o que significa uma variação nominal de 16,5% e real de 3,8%. Dessa forma, projeta-se para 2016 um acréscimo de R$ 3,2 bi na receita, ou seja, uma variação nominal de 12% e real de 0,8%.

Para o presidente da UGEIRM, Isaac Ortiz, “a denúncia da Afisvec é muito séria. Isso significa que o governo Sartori/PMDB, além de incompetente, manipula dados para atacar os servidores públicos. Só que não é só isso, com essa manipulação de dados, o governo está tentando criar uma situação financeira artificial para desmontar a segurança pública.

É o patrimônio e a segurança da população que está em jogo. Por isso os policiais vão parar no dia 4 de agosto. É contra esse tipo de política mentirosa que nós estamos lutando”. Ortiz encerra com uma pergunta: “em quem devemos acreditar?

Em um Secretário indicado e sem conhecimento técnico que, além de tudo, tem interesses políticos para justificar o ataque aos servidores, ou em técnicos concursados que têm história e conhecimento verdadeiro na área?”

Fonte: UGEIRM – Sindicato

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Edson Índio, na Conferência Nacional dos Bancários
Edson Índio, na Conferência Nacional dos Bancários
Mané Gabeira, na Conferência Nacional dos Bancários
Mané Gabeira, na Conferência Nacional dos Bancários
Rita Lima, na Abertura dos Congressos dos Bancos Públicos
Rita Lima, na Abertura dos Congressos dos Bancos Públicos
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários