Em SC, assembleia decide manter paralisações nos hospitais

Em SC, assembleia decide manter paralisações nos hospitais

Em SC, assembleia decide manter paralisações nos hospitais

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Mais de 500 servidoras e servidores da saúde pública estadual estiveram reunidos na tarde desta quarta-feira (4/4), na praça do Hemosc, em Florianópolis, e decidiram manter ativo o calendário de mobilizações para pressionar pelo avanço das negociações com a Secretaria do Estado da Saúde. A primeira paralisação deste novo ciclo será das 7h às 9h da próxima terça-feira (10/4), data do início das reuniões de negociação entre Sindicato e SES. As paralisações começarão sempre às 7h e ganharão 1 hora a mais de duração a cada rodada de negociação.

Comissão paritária discutirá pauta de reivindicações

A pressão das trabalhadoras e trabalhadores mobilizados em assembleias e paralisações desde o início de março surtiu efeito. Após reunião convocada pela Secretaria nesta terça (3/4), em que participaram 10 integrantes do governo do Estado, foi finalmente instaurada uma comissão paritária entre SES e Sindicato, para discutir sobre a pauta da categoria que segue inalterada e sem respostas desde 2016.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Durante a assembleia, a categoria da saúde decidiu estipular um prazo de um mês para que a comissão apresente resultados e também exigir a participação de todos os 5 membros da atual comissão de negociação do Sindicato nas negociações. “Tivemos uma assembleia muito grande, cresceu muito nossa mobilização. Vamos manter o Estado de greve, ampliando as paralisações dentro das unidades e fortalecendo a participação dos servidores para sensibilizar o governo para nossa pauta de reivindicações”, avaliou a presidente do SindSaúde/SC Simone Hagemann.

Após a reunião, integrantes do Sindicato e trabalhadores de Ibirama foram até a Assembleia Legislativa tentar dialogar com os líderes do governo. Uma reunião foi agendada com o deputado Valdir Cobalchini para amanhã, quinta-feira, às 16h. Procurado pela base da sua cidade, Ibirama, Aldo Schneider comprometeu-se a conversar com o secretário Acélio Casagrande e com o negociador do governo Décio Vargas para buscar acelerar as negociações.

Confira abaixo a pauta de reivindicações da categoria:

1) Abertura imediata de concurso público para contratação de servidores;

2) Melhorias nas condições de trabalho, incluindo equipamentos e insumos adequados para prestar melhor assistência aos usuários;

3) Reajuste do Vale Alimentação de R$ 12 para R$ 24 por dia;

4) Pagamento da data base (10,44% da inflação + 5,22%  de ganho real = 15,66% de reajuste), conforme lei 323/2006, artigo 100;

5) Adicional de formação, conforme acordado na greve de 2012;

6) Defesa do SUS estatal, contra qualquer modelo privatizante;

7) Implantação da Política Nacional de Saúde do Trabalhador;

8) Anistia ao SindSaúde/SC;

9) Nenhum direito a menos;

10) Incorporação da gratificação (Lei 15.984 de 09 de abril de 2013) no vencimento.

Fonte: SindSaúde S/C


INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Siga-nos no INSTAGRAM
Inscreva-se aqui em nosso canal no YouTube

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

#ForaBolsonaro - Próxima Mobilização: 24 de Julho
#ForaBolsonaro - Próxima Mobilização: 24 de Julho
Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários