Arquitetos do golpe vão comandar comissão do impeachment de Dilma no Senado

Arquitetos do golpe vão comandar comissão do impeachment de Dilma no Senado

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

PMDB e PSDB ocupam os cargos mais importantes da Comissão Especial que vai analisar a admissibilidade do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.  O senador Raimundo Lira (PMDB-PB), indicado pelo PMDB, foi eleito por aclamação presidente da comissão e Antonio Anastasia (PSDB-MG), que responde a processo por pedaladas fiscais à frente do governo de Minas Gerais, foi eleito relator. 

A Comissão Especial foi instalada terça-feira (26) no Senado. Os integrantes aprovaram o calendário apresentado por Anastasia, que prevê a apresentação do relatório no dia 4 de maio e a votação do texto em 6 de maio.Nesta quinta-feira (28), será ouvida a acusação. Na sexta-feira (29), ouve-se a defesa da presidente.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

 
Relator também é acusado de pedaladas fiscais

Anastasia foi eleito por 16 votos a 5, apesar ter sido secretário-executivo de Miguel Reale Júnior, um dos autores da iniciativa de impeachment e de responder, junto de Aécio Neves (PSDB-MG), por uma ação civil pública contra o Estado de Minas Gerais relacionada a pedaladas fiscais.

A ação se refere ao descumprimento da Emenda Constitucional 29/2000, que fixa a obrigatoriedade de aplicação do percentual mínimo de 12% do orçamento em ações e serviços de saúde pública, como atendimentos de urgência e emergência, investimentos em equipamentos e obras nas unidades de saúde, acesso a medicamentos e implantação de leitos.

Os governistas alegaram que faltaria ao parlamentar a isenção necessária ao cargo, mas os pedidos foram indeferidos pelo presidente Raimundo Lira, sob alegação de que nem Anastasia, nem o PSDB são autores da denúncia contra a presidente Dilma Rousseff.

Insatisfeitas com o resultado, as senadoras Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Gleisi Hoffmann (PT-PR) apresentaram recurso, que foi vencido em Plenário.

Vanessa também apresentou uma terceira questão de ordem, alegando que o advogado Flávio Henrique Costa Pereira, filiado ao PSDB, deveria ser incluído entre os autores da denúncia de impeachment, ao lado dos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Júnior e Janaina Paschoal.

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) rebateu, afirmando que Pereira assinou a peça inicial apenas como advogado dos juristas e não como autor.
Foto: Geraldo Magela/Ag.Senado

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários