Após mobilização nacional, votação de mudança no estatuto da Caixa é adiado

Após mobilização nacional, votação de mudança no estatuto da Caixa é adiado

Após mobilização nacional, mudança no estatuto da Caixa é adiado

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Após mobilizações sindicais realizadas em vários estados, foi adiada a votação da proposta de alteração do estatuto da Caixa, prevista para ocorrer na tarde desta quarta, 18, durante reunião do Conselho de Administração (CA) do banco. No ES, o Sindibancários realizou ato vestindo luto e protestando contra tentativa de privatização do banco.

Os trabalhadores da Caixa pressionaram e conseguiram, após mobilizações sindicais realizadas em vários estados, adiar a votação da proposta de alteração do estatuto da Caixa, prevista para ocorrer na tarde desta quarta-feira, 18, durante reunião do Conselho de Administração (CA) do banco. O Sindibancários/ES também participou do Dia Nacional em Defesa da Caixacom ação sindical na agência Beira Mar, no Centro de Vitória, além de percorrer diversas agências conversando com empregados, que vestiram a camisa da campanha Defenda a Caixa Você Também.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Para Rita Lima, dirigente do Sindibancários/ES, essa é uma vitória dos trabalhadores, mas é preciso continuar com as mobilizações. “Esse recuo na mudança do Estatuto do banco é fruto da campanha em defesa da Caixa realizada ontem. Mas é preciso continuar pressionando os deputados, além de prefeitos, movimentos e demais entidades, já que o assunto deverá retornar à pauta do CA no próximo mês. Não vamos permitir que o governo Temer entregue nosso patrimônio ao capital privado”, afirma a diretora do Sindicato.

Entre as alterações polêmicas propostas para o estatuto estão mudanças que interferem no direito dos trabalhadores e a transformação da Caixa em sociedade anônima – S/A. Nesta quarta-feira (18), a representante dos empregados da Caixa, Rita Serrano, entregou documento ao conselho questionando o cunho jurídico das alterações e os prejuízos que a mudança, caso aprovada, trará à Caixa e ao desenvolvimento do Brasil, divulgando antecipadamente seu voto contrário.

Segundo ela, o objetivo do governo ao tornar a Caixa uma empresa S/A cumpre a função de facilitar a abertura de capital do banco, com a consequência imediata de perda de seu papel social na gestão dos mais importantes programas sociais do País.

Com a  abertura do capital da Caixa diversos programa sociais ofertados pelo banco tendem a diminuir ou mesmo desaparecer, já que o único interesse dos acionistas é o lucro. “A alegação do governo para a alteração seria a melhoria com regras de governança, mas a Caixa já cumpre regras de governança e é supervisionada e fiscalizada por mais de 15 órgãos diferentes, além de contar com auditória interna e externa”, afirmou Rita Serrano, em nota publicada no site da Fenae.

Fonte: Sindicato dos Bancários do Espírito Santo com informações da Fenae


INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Inscreva-se aqui em nosso canal no YouTube

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

2 de outubro FORA BOLSONARO
2 de outubro FORA BOLSONARO
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
Nilza Pereira: Unidade é a chave para derrotar Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
100 mil na Paulista pelo Fora Bolsonaro
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários