Ameaças criminosas de Bolsonaro não vão nos intimidar!

Nota das Frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular

As Frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular que reúnem mais de uma centena de movimentos sociais brasileiros repudiam com veemência mais uma declaração criminosa do deputado Bolsonaro, candidato da extrema direita à presidência.

Em vídeo exibido durante manifestação no último dia 21/10 o deputado mais uma vez estimulou o ódio e a intolerância contra os setores que lutam por justiça social e democracia no país, abusando de ameaças como exílio, prisão ou banimento das pessoas que discordam do presidenciável. Em alusão à dois dos principais movimentos do país, afirmou: “Bandidos do MST, bandidos do MTST, as ações de vocês serão tipificadas como terrorismo.”

Sobre essa citação em particular, as frentes registram que o MST e o MTST são movimentos compostos pelas forças vivas do Brasil que não se calam perante a omissão do Estado diante do descumprimento das determinações constitucionais, em particular da função social da propriedade e organizam trabalhadores empobrecidos por direitos e garantias estabelecidas na Constituição de 1988. Esses movimentos são conformados por mulheres e homens que buscam coletivamente saídas políticas para a pobreza e a miséria a que o Estado busca condena-los.

Cabe registrar que terrorismo é o que vem sendo estimulado, reiteradamente, pelo deputado Bolsonaro nos últimos 30 anos. Terrorismo é apostar na guerra civil e na matança de 30 mil pessoas, é a apologia à tortura e o estímulo reiterado à violência contra os setores populares mais vulneráveis.

Exigimos respeito as pessoas lutadoras e sobreviventes da ditadura militar que são testemunhas do horror deste período e hoje alertam a sociedade e os mais jovens sobre o perigo do retrocesso.

O capitão e a ameaça fascista que o cerca não vão calar ou imobilizar as forças democráticas do nosso país, em particular do movimento popular.

O presidenciável, seus filhos parlamentares e o entulho autoritário que o rodeia são os responsáveis pela escalada de violência política que assola o país. Dezenas de casos de violência e até mortes são registradas todos os dias, partindo de apoiadores de Bolsonaro. Isso sim é terrorismo e precisa ser contido e punido.

Bolsonaro e a turma da violência e ódio à democracia tentam desesperadamente calar o movimento social, a exemplo da tentativa de cercear a UNE, com uma ação junto ao TSE, e ameaças de acabar com o ativismo e sindicatos que, historicamente, defenderam a democracia.

O Brasil não aceita retroceder à ditadura que tantos males já causaram ao nosso povo. Exigimos respeito às liberdades democráticas, aos princípios e garantias constitucionais e o restabelecimento da ordem democrática.


CLIQUE E ACOMPANHE A INTERSINDICAL NAS REDES

*

Top