4 mil participam de 1º de Maio de luta na Sé

4 mil participam de 1º de Maio de luta na Sé

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Milhares de trabalhadores, estudantes e ativistas dos movimentos sociais participaram do único ato de protesto de 1º de Maio em São Paulo convocados pela INTERSINDICAL, Pastoral Operária, MST, Conlutas, MTST, PSOL e outros. Sob a consigna “os trabalhadores não vão pagar pela crise”, os manifestantes deixaram clara sua disposição de lutar contra as demissões e a ofensiva sobre salários e direitos trabalhistas.

Emprego para todos, salário, moradia, terra e direitos sociais foram a todo o momento lembrados pelos manifestantes que realizaram uma atividade sem patrão e sem financiamentos de estatais, bancos, multinacionais e grandes empresas, bastante diferente do que fizeram centrais como Força Sindical, CTB, CUT, UGT, que realizaram showmicios e sorteios financiados pelo grande capital.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

A animada manifestação na Praça da Sé foi categórica em demonstrar o descontentamento com as políticas dos governos de socorro à bancos, montadoras e empreiteiras e se coloca como mais um importante momento de luta da classe trabalhadora contra as medidas do capital e seus Estados para depositar nas costas dos trabalhadores a conta da crise.

Além das declarações das diversas organizações, a atividade contou com a participação excelente do grupo de Hip Hop de Embú e de outros grupos de cultura popular. A manifestação teve um encerramento bastante simbólico: milhares de pessoas cantando a Internacional Socialista.

O 1º de Maio de luta na Praça da Sé foi um importante momento de unidade das várias organizações e apontou a necessidade de organizar a resistencia ao capital e sua crise nos locais de trabalho, de moradia e em todos os espaços de participação popular. O próximo passo é buscar construir, juntamente com o MST, uma grande jornada de lutas no final de maio, início de junho.

Indio – Edson Carneiro
Coordenação Nacional da Intersindical

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
Intersindical no #19JForaBolsonaro na Av. Paulista
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
ELEIÇÕES PERUANAS [Intersindical Debate #34]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
POR QUE IR ÀS RUAS NO 19J? [Intersindical Debate #33]
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários