31-08 Paralisação Estadual dos trabalhadores da educação no Pará

31-08 Paralisação Estadual dos trabalhadores da educação no Pará

31-08 Paralisação Estadual dos trabalhadores da educação no Pará

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

31-08 Paralisação Estadual da educação no Pará. Na luta pelo pagamento do piso salarial!

Governo Simão Jatene (PSDB) não cumpre determinação judicial

Piso do magistério é lei, não vamos abrir mão!
Golpistas não passarão!

A audiência de negociação com o governo, realizada na tarde do dia 29.08, para tratar do pagamento do piso do magistério, serviu novamente para a confirmação da falta de disposição política do governo do Estado em realinhar o vencimento básico do pessoal do magistério.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

A argumentação foi de que o governo irá esgotar todos os recursos jurídicos. Questionados pelo SINTEPP, os representantes do governo, tendo à frente a secretária de Administração, Alice Viana, reafirmaram que o governo utilizará de todas as suas prerrogativas e que só irá se posicionar após o trânsito em julgado, do mérito da questão. Enquanto isso a educação na rede estadual está falida, com os projetos desenvolvidos pelo governo tucano, que estão jogando o ensino público literalmente no ralo.

Além do Sindicato, estiveram na reunião representantes da equipe de governo, Casa Civil, SEAD, PGE e SEDUC. O pronunciamento alinhado e enfático de não cumprir a Lei do PSPN foi atestado na fala do advogado da PGE, “Nós não temos como mudar a orientação, nós não temos como realizar o pagamento. Exatamente por conta das prerrogativas processuais que a Fazenda Pública orientou em juízo”, declarou o Procurador Paulo Henrique Nobre Reis ao entregar cópia do ofício de instrução da PGE. O governo considera usar todos os recursos cabíveis até que a ação transite em julgado.

O SINTEPP solicitou, porém, explicações da PGE no que se refere a alegação de contradição de jornada que impediria o pagamento ou mesmo a negociação para sua efetivação. A resposta rodeou entre declarações de que mesmo com a evolução das análises financeiras não se pagará enquanto estiver em andamento o processo, e novamente na afirmação equivocada de que o Estado já paga o piso, tese derrotada no TJE. Vale lembrar que o governo continua retendo injustificadamente os autos do processo, apesar de já ter protocolado o recurso de Embargo de Declaração.

Em resumo, a gestão de Simão Jatene se confirma como um governo, que além de não cumprir o que é previsto em Lei, continua submetendo educadores (as) e estudantes à condições indignas no que tange a infraestrutura das escolas, que repetidas vezes foram denunciadas pelo Sindicato e comunidade escolar aos órgãos reguladores, que vão de falta e atraso na entrega de merenda e transporte escolar, à falta de água potável, salas de aula sem ventilação adequada e etc.

Em defesa da Escola Pública!

Pelos 200 dias letivos!

Abaixo o SEI!

Jatene e Ana Cláudia Hage, paguem o piso do magistério!

Fonte: Sintepp


INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora
Clique aqui e curta nossa página no Facebook
Inscreva-se aqui em nosso canal no YouTube

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários