fbpx

15 de abril: Paralisação Nacional contra o PL 4330


Bancários da Baixada Santista organizam paralisação da categoria

 
A aprovação do Projeto de Lei (PL) 4330, que escancara a possibilidade de terceirização no Brasil, foi um duro golpe da Câmara dos Deputados e do empresariado contra a classe trabalhadora que pode resultar, por exemplo, em bancos sem bancários. Mas a luta não acabou! A Intersindical – Central da Classe Trabalhadora, movimentos sociais e outras centrais sindicais chamam toda a população para o Dia Nacional de Paralisação, na próxima quarta-feira (15 de abril).

Um dia antes, na terça-feira, 14/4, todos os bancários da Baixada Santista estão convocados para assembleia de organização da atividade da quarta-feira na região. A assembleia acontece às 19 horas, na Sede do Sindicato dos Bancários de Santos e Região (Avenida Washington Luis, 140, Vila Mathias, em Santos).

São os trabalhadores que pagarão a fatura do PL 4330, que retira direitos, rebaixa salários e causa desemprego. Ou seja, esse projeto serve apenas para engordar ainda mais os cofres dos empresários que financiam as campanhas de quem quer aprovar o PL. A Intersindical vai continuar lutando contra o projeto e em defesa da classe trabalhadora, pois o texto ainda precisa passar pelo Senado.

“Contra a Direita, por mais direitos”

No Dia Nacional de Paralisação também haverá um grande ato público, às 17 horas, no Largo do Batata, em São Paulo: “Contra a Direita, por mais direitos”. É fundamental unirmos forças com todos os setores de esquerda que defendem os interesses e direitos da classe trabalhadora, que sustenta o País.

A atividade busca combater e alertar sobre a pauta conservadora que avança no Brasil e só beneficia os grandes empresários, corruptos e o sistema financeiro. Entre vários pontos de retrocesso, destacam-se:

– PL 4330/04, que precariza as condições de trabalho, gera desemprego e retira a dignidade de milhões de trabalhadores;

– O ajuste fiscal e as medidas propostas pelo governo que reduzem direitos dos trabalhadores (Medidas provisórias 664 e 665, por exemplo);

– A crise de água no Estado de São Paulo, que castiga o povo com racionamento mas garante abastecimento para grandes empresas;

– PEC 171/93, que reduz a maioridade penal de 18 anos para 16 anos.

A saída para a crise está nas reformas populares! Por isso, dia 15 de abril vamos pautar as ruas em defesa dos direitos sociais, pela taxação das grandes fortunas, combate à corrupção, fim do financiamento empresarial das campanhas eleitorais e contra o golpismo!

ACHOU ESSA INFORMAÇÃO IMPORTANTE?Inscreva-se para receber nossas atualizações em seu e-mail

*

Top