10 DE AGOSTO: Basta de insegurança e violência!

10 DE AGOSTO: Basta de insegurança e violência!

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Saiba mais sobre o Dia do Basta, 10 de agosto:

Basta de falta de moradia, basta de especulação imobiliária!
→ Basta de ataque à democracia!
→ Basta de miséria e fome!
Basta de juros altos!
→ Basta de aumento no gás de cozinha!
→ Basta de só encontrar bico para sobreviver!
Basta de carestia!
→ Basta de entrega das nossas riquezas!
→ Basta de desemprego!
→ 10 de agosto é Dia do Basta! Em defesa do emprego, da aposentadoria e dos direitos!


No Brasil, segundo o IPEA, são mortos anualmente mais de 60 mil pessoas em decorrência da violência. Uma maioria de 56% dos óbitos são de homens jovens (15-19 anos), sendo que um negro tem 2,5 vezes mais chance de ser morto do que um não negro.

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

Estes são alguns números que revelam o quadro de barbárie no qual estamos vivendo. Situação causada pela união de diferentes calamidades, Citamos algumas:

1) crise econômica e ausência de perspectivas de trabalho formal para a juventude;

2) segregação social de comunidades de periferia e ausência de estruturas públicas de saúde, lazer, educação, cultura, etc.;

3) ausência de políticas públicas e reformas estruturais que rompam com o circuito da marginalização das comunidades periféricas;

4) manutenção de uma “justiça penal” dirigida para condenar e punir os pobres;

5) permanência de uma política falida de combate às drogas, que só beneficia o crime organizado, e aprisiona e mata jovens da periferia.

Assim o Brasil se tornou o país onde a polícia mais mata e mais morre. Uma guerra na qual os vencedores não são os que prevaleceram ao final, mas aqueles que lucram enquanto ela permanecer.

A segurança pública hoje está estruturada na repressão direta e ostensiva, e não tem nenhum compromisso com a investigação e apuração dos casos.

Para se ter uma ideia, apenas 5% dos casos de homicídios são levados a julgamento no Brasil, enquanto isso há um aprisionamento em massa da juventude em decorrência de crimes relacionados ao tráfico de drogas e crimes contra o patrimônio, que representam cerca de 84% dos 726 mil dos encarcerados brasileiros.

A violência contra os debaixo e a insegurança é espetacularizada nos programas de televisão, legitimando socialmente o genocídio dos mais pobres.

A violência e a insegurança, não é outra coisa senão negócio. O tráfico de armas e drogas é fundamentalmente articulado com o sistema financeiro e diferentes negócios destinados à lavagem de dinheiro. Mas não se vê operações militares nas sedes dos bancos, apenas nas comunidades de periferia.

Temer, o presidente do golpe, foi o autor da Intervenção Militar no Rio de Janeiro, e até o momento, não apresentou nenhuma melhora no cenário da segurança no estado. Foi uma grande mentira, um espetáculo caro, brutal, midiático, que veio a calhar para os interesses monopolistas de algumas organizações criminosas, que vêm na intervenção uma forma de ocupar territórios que antes era dominados por seus rivais, após a intervenção militar, muitos morros serão uma terra de oportunidade para novos grupos (facções, milícias, etc.).

10/08 DIA DO BASTA!

O povo brasileiro tem direito à segurança pública e viver em paz.. Por isso, as centrais sindicais e os movimentos sociais preparam importantes mobilizações para o próximo dia 10 de agosto, o DIA DO BASTA! Com paralisações, assembleias nos locais de trabalho e fortes manifestações, a classe trabalhadora vai intensificar a pressão.

Por outro lado, a classe trabalhadora precisa participar ativamente da política. A eleição tem de servir para MUDAR A POLÍTICA DE SEGURANÇA PÚBLICA, E COLOCAR O ESTADO PARA PROTEGER AS COMUNIDADES E NÃO TRATÁ-LAS COMO INIMIGAS.

Pelo fim da Intervenção Militar no Rio de Janeiro.

Quem matou e quem mandou matar Marielle?

Além disso, é preciso intensificar a campanha contrária aos deputados e senadores que aprovaram os retrocessos. Segurança é produto da justiça social, dos direitos e da igualdade.


CLIQUE E ACOMPANHE A INTERSINDICAL NAS REDES

Acha esse material importante? Cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter.

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email

Já assistiu nossos últimos vídeos no YouTube?

Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Nilza, pela Intersindical, neste #24JForaBolsonaro na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Edson Índio, Secretário Geral da Intersindical, neste #24JForaBolsonaro, na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Camila, das Brigadas Populares, no #24JForaBolsonaro na Paulista
Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários