SP fará convênio com bancos para transformar agências bancárias em creches

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou em entrevista coletiva um conjunto de primeiras medidas neoliberais em seu primeiro dia de mandato. Dória falou em usar imóveis desocupados de bancos e agências bancárias, sem citar quais, para a criação de creches.

Segundo ele, São Paulo vai usar R$ 230 milhões do Orçamento, contando com apoio do setor privado (bancário), para criar 66 mil novas vagas em creches em até 12 meses.

Além disso, anunciou a implantação do programa de atendimento a saúde em convênio com hospitais privados e fora do horário comercial para extinção da fila de espera por exames na saúde em até 90 dias, a partir de 10 de janeiro. Segundo o prefeito tucano, 25 hospitais já se interessaram.

Dória nomeou um gestor de economia para cada secretaria e cada empresa da prefeitura com o objetivo de propor e estimular cortes de gastos. E anunciou a redução de 15% nos valores dos contratos de parte dos fornecedores da prefeitura.

Para a Intersindical Central da Classe Trabalhadora, as medidas deste governo não causam surpresa, apenas apontam o caminho que São Paulo e outras cidades o país vão tomar com ainda mais ênfase daqui para a frente. O caso de SP reforça ainda mais a necessidade de unidade e da luta entre as trabalhadoras e trabalhadores contra o desmonte do serviço público e a terceirização para a iniciativa privada.

*

Top