FMI faz recomendação expressa em favor da PEC 241

FMI - Christine Lagarde - PEC 241

Saiba mais:
 Câmara aprova PEC 241 em 2º turno, mas a luta continua no Senado
→ Entrevista com Amauri Soares: PLP 257 e PEC 241 exterminam de vez com os direitos dos brasileiros
→ Vitor Hugo Tonin: PEC 241 não é para limitar os gastos públicos e sim para garantir os juros aos rentistas


A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, listou no domingo (9) a cartilha neoliberal que o governo brasileiro deve seguir às pressas para ser “bem visto internacionalmente”.

Segundo ela, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241, que congela as despesas primárias em favor do pagamento dos juros aos credores internacionais, além das reformas da Previdência e trabalhista, se forem aprovadas em um “prazo razoável”, ajudariam a “reforçar a credibilidade da política macroeconômica” do Brasil, além de “reforçar a confiança na economia e ancorar um retorno para um crescimento forte, inclusivo e sustentável”.

Não é a primeira fez que o FMI se pronuncia publicamente sobre a proposta de limitar os gastos sociais do governo brasileiro. No final de setembro, o fundo divulgou comunicado oficial após visita ao país apontando que a melhora do quadro fiscal baseada somente em controle dos gastos poderia levar vários anos para estabilizar a dívida pública, “além de trazer riscos”.

“O foco do governo em controlar o crescimento dos gastos públicos é imperativo e bem-vindo”, disse o FMI, criticando “políticas fiscais insustentáveis” baseadas em “despesas infundadas e onerosas de forma crescente”.

O FMI recomendou ainda uma revisão do salário mínimo e uma reforma trabalhista no Brasil.

“A Intersindical Central da Classe Trabalhadora não se intimida diante da ofensiva da direita e do grande capital. Por isso somamos esforços com diversos movimentos sociais e organizações de esquerda na luta contra o golpe, como a Frente Povo Sem Medo, e seguimos as lutas contra os reveses políticos desenhados pelo FMI e por esse governo golpista”, reforça Edson Carneiro Índio, secretário-geral da Intersindical.

INTERSINDICAL – Central da Classe Trabalhadora

Postagens Relacionadas

One Comment;

*

Top